Polícia

Filho de morador de rua se apresenta à polícia e confessa ter matado o pai

João Victor Souza | 02/12/19 - 15h58 - Atualizado em 02/12/19 - 17h19
Arquivo/TNH1

O morador de rua Cristiano Henrique Santana da Silva, de 35 anos, encontrado morto em frente a um edifício empresarial no Centro de Maceió, na última sexta-feira, 29, foi assassinado pelo próprio filho, um adolescente de 15 anos, que se apresentou à polícia nesta segunda-feira, 02. A informação foi passada pela delegada Rosimeire Vieira à reportagem do TNH1

Cristiano Henrique dormia próximo à porta de entrada do prédio quando foi surpreendido pelo filho, que o atacou com uma pedrada na cabeça. O homem foi encontrado de bruços, enrolado em um cobertor, com as costas e a cabeça para fora do tecido. 

De acordo com a polícia, o adolescente procurou a delegacia acompanhado por uma associação voltada para a população em situação de rua e confessou ter matado o pai. Ele alegou que sofria com a violência constante cometida por Cristiano Henrique contra ele.

"Algumas pessoas que já haviam sido ouvidas também confirmaram que o pai agredia o jovem com frequência. Então ele apanhava muito. Ele se apresentou hoje e prestou depoimento", disse a delegada.

Rosimeire também revelou que depois da conclusão da investigação, o caso será encaminhado para a Vara da Infância. "Mais pessoas serão ouvidas. Vai ser feita uma avaliação para saber se o adolescente vai ser encaminhado para a unidade de internação ou não", destacou.

Pai e filho suspeitos de crime

Cristiano Henrique e o filho foram detidos no dia 28 de setembro deste ano como principais suspeitos da morte de Rubinaldo Pereira Alves, 42 anos, morador de rua assassinado com pauladas na cabeça, na Praça Sinimbu, em Maceió.

À época, o pai foi preso e o menor apreendido, ambos sendo levados para a delegacia onde prestaram depoimentos. Os suspeitos e a vítima frequentavam o abrigo Casa de Ranquines, mantido pela Igreja Católica, e dormiam no local.

A motivação do crime teria sido um desentendimento entre Rubinaldo e os agressores. 
 

"