Mundo

Foto de 'bebê tatuado' causa polêmica nas redes sociais: "Ameaçaram chamar a polícia", diz mãe

Revista Crescer | 17/08/21 - 14h53 - Atualizado em 17/08/21 - 15h00
Reprodução / Instagram

Ela contou que resolveu usar tatuagens temporárias no bebê para comemorar o seu sexto 'mesversário'. No entanto, muitas pessoas acreditaram que elas fossem reais. “Isso é realmente contra a vontade dele”, protestou uma pessoa. “O que acontecerá quando o bebê crescer e sua pele crescer?”, questionou outro. Alguns ainda ameaçaram chamar a polícia, contou a mãe. "Disseram que o que eu estava fazendo com meu filho é abuso e negligência”, disse. A polêmica levou a equipe do Reuters Fact Check, que faz uma espécie de "verificação de fatos na internet", a fazer um artigo sobre o caso.

Shemeka conta que seu filho nasceu prematuro e a permanência na UTI Neonatal a impediu de comemorar seu primeiro mês de vida. Então, ela “decidiu comemorar seus marcos mensais com temas diferentes” e, como seu irmão é dono de uma loja de tatuagem, optou por fazer as fotos de seu bebê com o tema. Ela explicou que usou tatuagens temporárias no bebê, do tipo aplicado com água, com liberação prévia da pediatra. Shemeka afirma que queria que seu filho e outras pessoas “nunca tivessem medo de ser diferentes”. “Estou completamente confortável na minha pele e meu filho será criado da mesma forma”, finalizou.

Foto: Reprodução / Instagram

Tatuagem temporária, pode?

Segundo a dermatologista Luciana Samorano, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e membro do Departamento de Dermatologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), esse tipo de tatuagem, mesmo que pareça inofensiva, não deve ser utilizadas por bebês e crianças menores de 2 anos. "A pele dessas crianças ainda é imatura. Nessa fase, o sistema imunológico ainda está em desenvolvimento, então, a pele dos pequenos é, sim, mais sucetível a irritações e alergias à produtos químicos, corantes, que podem levar a dermatite de contato irritativa ou alérgica", explica.

Já sobre tatuagens de henna, que também são temporárias e bastante comuns, a médica explica que há riscos envolvidos. "Os tatuadores, muitas vezes, não usam apenas a henna, mas também outros aditivos, como parafenileno de amina, uma substância usada também em tinturas de cabelo, mas não deve ser usada na pele, pois está bastante associada a dermatites e alergias. A henna pura não representaria um grande risco, mas normalmente, em geral, são usados aditivos para que o desenho seque mais rapidamente", finalizou. Lembrando que a henna tem origem na cultura indiana e a tinta é fruto de uma pequena árvore, chamada henna, da qual se retira um extrato corante que também serve para tingir tecidos ou cabelos.

https://www.instagram.com/p/CRE6URLjkUj/?utm_source=ig_embed&ig_rid=330b4dbc-67aa-4621-93d6-bc39cb987ddc