Polícia

Funcionários foram rendidos e bando queria roubar banco; delegado detalha assalto

TNH1 com Rádio Pajuçara FM Arapiraca | 10/02/21 - 10h20 - Atualizado em 10/02/21 - 10h56

O delegado Cayo Rodrigues, da Seção de Roubo a Bancos da Divisão Especial de Investigações e Captura (Deic), informou em entrevista à Rádio Pajuçara FM Arapiraca, na manhã desta quarta (10), toda a dinâmica do assalto à agência do Banco do Brasil, no bairro do Farol. Segundo ele, os funcionários foram rendidos um a um, a partir do momento em que chegavam para trabalhar. 

O crime aconteceu na Avenida Tomás Espíndola, no início da manhã dessa terça-feira, 09. Um funcionário percebeu o roubo e apertou o botão do pânico, o que fez disparar o alarme e assustar os bandidos, que rapidamente fugiram com três armas de fogo roubadas do vigilante. Até o momento, três pessoas foram presas e as armas já foram recuperadas.

Segundo Rodrigues, um dos assaltantes ficou na porta da agência e aguardou a chegada dos funcionários para começar a rendê-los. Logo, dois suspeitos se aproximaram e também deram apoio na ação. Ao menos um homem ficou mais distante, para dar apoio durante a fuga.

"Um deles chegou mais cedo e rendeu os funcionários que estavam chegando, não só os funcionários da própria agência, como também os terceirizados, como zelador, vigilante... A medida que iam chegando, ele ia rendendo o pessoal no intuito de poder entrar na agência, já que apenas os gerentes usualmente faziam a abertura da instituição", explicou.

"Então, quando elas [as vítimas] foram chegando, os três iam fazendo a rendição, e em seguida, entraram na agência. Durante a ação delituosa, algo aconteceu que fez com que eles abortassem a ação e saíssem apenas com o armamento. Mas, de toda forma, o crime foi devidamente consumado, pois foram subtraídos os artefatos bélicos. E eles tinham também um suporte do lado externo para a fuga e visualização do que estava acontecendo. Essas pessoas também foram identificadas e o crime esclarecido, assim como a dinâmica dele", continuou o delegado.

Rodrigues também pontuou que os três assaltantes presos foram capturados durante diligências na capital alagoana. Já o quarto envolvido havia fugido para Arapirava e localizado nas proximidades do bairro Planalto. Ele resistiu à prisão e atirou contra a equipe do Grupamento Tático. Em revide, o homem foi baleado pelos policiais e não resistiu aos ferimentos.

"Os presos são de Maceió, enquanto o indivíduo que entrou em confronto e morreu era de São Paulo, e já chegou a ser preso pela própria Deic inclusive, anos atrás, também por roubo a banco. Ele também foi preso pelo mesmo crime em São Paulo, contra o patrimônio de instituições financeiras", afirmou.

O delegado também deu detalhes de como a polícia chegou aos envolvidos. De acordo com ele, o homem que deu apoio para a fuga do trio foi o primeiro identificado.

"Foram realizadas entrevistas com as pessoas que foram vítimas da violência, da grave ameaça, foram analisadas as imagens do circuito interno de câmeras, assim como imagens dos estabelecimentos comerciais e residências nas proximidades. Em posse destes materiais, conseguimos evoluir nas investigações e identificamos o indivíduo que deu fuga aos criminosos após a ação delituosa, e identificamos quem seriam os autores", declarou o delegado.

"A gente consegue chegar ao desfecho da investigação num prazo muito curto e com muito êxito. As armas subtraídas vão ser devolvidas à empresa de segurança de propriedade e é um caso elucidado", concluiu.

Uma entrevista coletiva será realizada na sede da Deic, no bairro de Santa Amélia, no fim desta manhã.