Polícia

Garçom é preso suspeito de participação em assalto a estabelecimento de policial militar

Redação TNH1 | 11/04/22 - 11h52 - Atualizado em 11/04/22 - 16h56
Homem foi preso em casa, no bairro Poço | Cortesia

Nesta segunda-feira (11), um garçom foi preso suspeito de participar de um assalto a um estabelecimento comercial na Avenida Senador Rui Palmeira, em setembro de 2021. H.S.M foi detido em casa, no bairro Poço, parte baixa de Maceió, nas proximidades da Praça da Maravilha.

Segundo a polícia, o mandado de prisão é datado no dia 06 de outubro e foi assinado pelo juiz Rodolfo Osório Gatto Herrmann, da 6ª Vara Criminal da Capital. Já o assalto aconteceu no dia 14 de setembro do ano passado e terminou com um suspeito preso, dois foragidos e uma arma de fogo apreendida.

À época, os três homens foram perseguidos, mas dois conseguiram escapar de um policial à paisana, que era proprietário da loja e reagiu ao crime. O carro usado pelos bandidos, um Fiesta branco, também foi encontrado e removido por policiais militares.

"Para a surpresa deles, o estabelecimento era de propriedade de um policial militar, que estava à paisana. Em primeiro momento, ele se rendeu, deixando ser amarrado. Assim que os meliantes tentaram fugir, ele conseguiu se soltar e trocou tiros com os criminosos. Na fuga, o motorista Uber ficou para trás e trouxe a versão de que seria vítima, que tinha sido sequestrado, porém identificamos a participação dele", disse o delegado Leonam Pinheiro, responsável pela captura do suspeito.

"Ele usava tornozeleira eletrônica, ou seja, já respondia por outro crime, e se associou ao individuo que fazia transporte por aplicativo. Pela manhã, eles foram comprar um "enforca-gato" para amarrar a vítima do crime. Durante a tarde, se associaram a outro delinquente, e foram ao estabelecimento no Vergel", continuou.

Ainda segundo Pinheiro, o garçom teria planejado e liderado o roubo. "Ele foi o autor intelectual e executor principal do crime, e agora está atrás das grades", finalizou o delegado, ao destacar que o homem foi encaminhado ao Complexo de Delegacias Especializadas (Code), em Mangabeiras.