Maceió

Geólogo fala em “erro grosseiro” da Braskem no serviço de extração de sal-gema

Redação TNH1 | 08/05/19 - 13h48 - Atualizado em 08/05/19 - 16h05
Erik Maia/TNH1

O assessor de hidrologia e gestão territorial da CPRM, Thales Sampaio, informou durante coletiva de imprensa no fim da manhã desta quarta-feira (08), que a Braskem cometeu “erros grosseiros” no serviço de extração de sal-gema, o que provocou a instabilidade no solo do bairro do Pinheiro e região.

O resultado dos estudos sobre a situação do bairro, que vêm sendo feitos desde o ano passado, foi divulgado na manhã desta quarta, durante audiência pública no auditório da Justiça Federal, no bairro de Serraria, em Maceió.

“É possível que um técnico erre sem intenção de errar. A falta de dados pode levar a isso. Eu não imagino que eles falaram por má fé que não tinha cavidades subterrâneas. Geólogo experiente assim que colocasse o olho iria identificar. Os erros foram grosseiros justamente pela falta de uma pessoa que pudesse identificar falhas geológicas”, afirmou Sampaio.

Segundo o especialista, para que se pudesse fazer qualquer tipo de atividade na região, era preciso ter conhecimento das falhas geológicas que lá existem para que fosse tomada as devidas providências.

“Não existe só uma falha, há outras que cruzam, nós identificamos claramente nos estudos. É uma zona que existe uma tectônica complexa e evidentemente que tem falhas derivadas dessas maiores. Para agir na zona, como abrir um túnel ou fazer uma mina subterrânea, você tem que saber que existe a falha e tomar as providências para estabilizar as falhas”, disse.

O geólogo explicou ainda que as cavernas não estão íntegras e o terreno não ficou estável com a atividade. "Do ponto de vista das cavidades, eles fizeram as 20 primeiras ao lado da falha. Ou seja, é tipo fazer cavidades de 70 metros de diâmetro por 150 ou 200 metros de altura. Aí faz ao lado, faz cortando a falha... O terreno não vai ficar estável. As cavernas não estão íntegras, então tenho que tomar isso como premissa para fazer um mapa de perigo para preservação de vidas e por precaução", disse.

A Braskem promete se pronunciar sobre o resultado do relatório ainda nesta quarta-feira.