Polícia

Homem é encontrado morto após simular suicídio de ex-mulher no MA

Com agências | 21/05/19 - 12h17 - Atualizado em 21/05/19 - 13h24
Arquivo Pessoal

Um homem foi encontrado morto com um tiro na cabeça após simular o suicídio da ex-companheira, no domingo (19), em Barra do Corda, no interior do Maranhão. A polícia acredita que ele se suicidou após matar a mulher. 

Elisandra da Silva Brasil, de 23 anos, foi encontrada morta dentro de casa com fragmentos de chumbinho na boca e um frasco de veneno de rato ao seu lado na cama. Pelas investigações, o caso estava sendo tratado com suícidio. 

No entanto, a polícia ouviu depoimentos de parentes de Elisandra e descobriu que, na manhã do ocorrido, a moça estava feliz e não aparentava depressão ou tristeza. A família também informou que ela se despediu dos pais e disse que voltaria para casa porque tinha que fazer o almoço dos filhos.

Com essas informações, a polícia mudou a linha de investigação para que alguém teria simulado a morte como suicídio. O principal suspeito do crime passou a ser o ex-companheiro Manoel da Silva Nascimento, de 30 anos, com quem ela conviveu em união estável por seis anos. O relacionamento terminou de forma conturbada e ele não aceitava.

A polícia disse que foram feitas análises no corpo da vítima e que não havia sinais característicos do envenenamento como vômito, diarreia ou secreção na boca e na narina. 

“Também observamos algumas lesões de defesa em sua mão, cotovelo e no seu rosto. Isso demonstra indícios de uma briga. Diante desses fatos, começamos a perceber que ali, na verdade, havia uma cena de crime montada tentando simular um suicídio, mas se tratava realmente de um homicídio. Como o principal suspeito era o ex-companheiro, estávamos diante de um feminicídio", contou o delegado de Barra do Corda, Renilton Ferreira.

Ainda segundo a polícia, Manoel se tornou suspeito após desaparecer depois do ocorrido. A irmã dele também informou que ele havia saído de casa nervoso e sem responder o que iria fazer.

Nessa segunda-feira (20), o laudo do Instituto Médico Legal (IML) indicou que Elisandra foi morta foi asfixia. Já Manoel foi encontrado morto com um tiro na cabeça.