Polícia

Homem é morto a tiros na frente da irmã de oito anos em São José da Tapera

Erik Maia | 10/10/19 - 16h53 - Atualizado em 10/10/19 - 16h53
Reprodução Vídeo

O vídeo de uma câmera de segurança divulgado na manhã desta quinta-feira (10) mostra a execução de um jovem de 21 anos em frente a uma escola em São José da Tapera, no Sertão de Alagoas. A irmã da vítima, uma menina de apenas oito anos de idade, estava com ele no momento do crime.

O vídeo, de câmeras de circuito interno e gravado na última terça-feira (8), mostra o momento em que o assassino chega ao local do crime. Ele estava acompanhado de duas mulheres.

As imagens seguem mostrando que o homem se afasta das mulheres e o momento em que a vítima, Wesley Ferreira Vieira, um vendedor de salgados, se aproxima das mulheres para realizar uma entrega.

Irmã da vítima é retirada do local do crime por mulher que teria participado de emboscada. Foto: Reprodução Vídeo

Uma das mulheres deixa o local após a chegada de Wesley. Ele desce da moto e nesse momento é possível ver que a criança que presenciou o crime estava com ele, na garupa.

Na sequência, o vídeo mostra o assassino se aproximar, empurrar Wesley e efetuar os disparos, todos à queima roupa. Nas imagens, é possível ver que a mulher que ficou perto da vítima foge, puxando a criança pela mão. A mulher corre na mesma direção do assassino. Assista:

De acordo com o delegado da cidade, Emanuel David, as mulheres foram presas poucas horas após o crime. Jucimária Barbosa e Joseane da Silva Sales, ambas de 23 anos, teriam atraído a vítima para o local.

O delegado disse ainda que o autor dos disparos foi identificado pela polícia como Mauro dos Santos, conhecido como “Minotauro”. Ele é um ex-reeducando do Sistema Prisional de Alagoas e já é considerado foragido pela polícia.

A criança foi resgatada pela polícia e encaminhada para a casa de parentes. O delegado informou que ela está bem e que não foi agredida.

Caso alguém tenha alguma informação que ajuda a localizar Mauro dos Santos, basta ligar para o disque denúncia, no 181. A ligação não precisa ser identificada.