Polícia

Homem é preso após agarrar e tentar estuprar adolescente de 13 anos na Barra de Santo Antônio

TNH1 com TV Pajuçara | 11/01/21 - 08h19 - Atualizado em 11/01/21 - 08h31
Homem foi preso e levado para a Central de Flagrantes em Maceió | Arquivo TNH1

A Polícia Militar prendeu, na noite desse domingo (10), um homem, de 28 anos, que agarrou e tentou estuprar uma adolescente de 13 anos na Barra de Santo Antônio, Litoral Norte de Alagoas. 

Em entrevista ao Balanço Geral Alagoas, da TV Pajuçara, a mãe da menina explicou que precisou sair de casa e que o homem aproveitou de um momento em que a adolescente abriu a porta para buscar o gato de estimação que estava na rua. 

"Eu deixei ela em casa e disse para ela que não abrisse a porta se chegasse alguém me chamando, que dissesse que eu estava dormindo. Só que eu tenho um gato e o gato saiu para a rua. Ela abriu a porta e foi pegar o gato. Nisso, esse cara chegou e pediu um copo de água. Ela entrou em casa, pegou a garrafa e o copo e foi dar água para ele. Depois ela voltou, levou o copo para dentro de casa e voltou para pegar o gato. Foi na hora que ele pegou ela, agarrou ela e foi tentar pegar nas partes íntimas dela". 

"Ela gritou. Quando ela gritou, ele soltou ela. Só que ninguém escutou os gritos dela porque de frente o som estava ligado, o som da minha vizinha do outro lado e do outro lado também, aí ninguém escutou os gritos dela. Ele saiu correndo. Quando eu cheguei, ela estava nervosa, chorando. Me chamou para conversar e não quis nem conversar na frente do meu marido. Disse: 'Mãe, aconteceu que aquele homem, que a senhora disse que é mau, veio aqui pedir um copo de água, eu dei a ele, e ele tentou me pegar a pulso. Ele não conseguiu'. E ela estava chorando. Só que ele já é acostumado a fazer essas coisas na Barra. Ele dá no pai dele, na mãe dele, ele é um terrorista", contou a mãe da menina.

Ainda de acordo com a mulher, o homem é conhecido na região da Barra de Santo Antônio e tem histórico de problemas.   

"Eu conheço e muita gente da Barra de Santo Antônio conhece ele. Ele tem um histórico pesado. Inferniza. Um tempo passou preso, disseram que ele estava internado, disseram que era doido. Tiraram ele da Barra e agora ele voltou. Quando ele voltou, começou a andar por cima lá no mutirão. Eu mostrei a ela: 'Tá vendo esse homem? Ele não presta. Dá no pai, dá na mãe, é acostumado a correr atrás das meninas para pegar a pulso'". 

Segundo o relatório do Centro Integrado de Operações da Secretaria de Segurança Pública, o homem foi preso e levado para a Central de Flagrantes, em Maceió, onde foi autuado por estupro de vulnerável.