Polícia

Homem que escondeu corpos em residência pode ter sido autor dos crimes, diz polícia

João Victor Souza | 24/06/19 - 15h10 - Atualizado em 24/06/19 - 15h41
Reprodução/Google

O delegado Gustavo Xavier, titular da 7ª Delegacia Regional de Polícia (7ª DRP), do município de Penedo, informou ao TNH1 nesta segunda-feira (24), que José Ednaldo Santos Silva, 50 anos, preso no último dia 19 após dois corpos serem localizados em sua residência, tem relação com as mortes.

As vítimas, sendo um homem e uma mulher, foram encontradas em avançado estado de decomposição nos fundos do terreno da casa, situada no povoado Marituba do Peixe, na Zona Rural de Penedo. José Ednaldo foi preso em flagrante por militares do 11º Batalhão após a polícia encontrar os cadáveres.

Xavier contou à reportagem que as vítimas ainda não foram identificadas pelo Instituto Médico Legal (IML), porém as investigações apontam que os dois teriam sido mortos por motivos diferentes.

O homem seria um prestanista que vendia utensílios na região e que está desaparecido. Ele teria ido até a residência de José Ednaldo para cobrar uma dívida de um produto que o suspeito havia comprado dele. “Quando o prestanista foi fazer a cobrança, o José Ednaldo, junto com outro homem, pegou barras de madeira e começou a espancá-lo. Ele teria sido agredido pelos dois até a morte e jogaram o corpo no matagal nos fundos da casa”, disse.

O cúmplice de José Ednaldo no assassinato seria um baiano, que não teve o nome revelado e segue foragido. Segundo Xavier, o flagrante de José Ednaldo foi feito pelo crime de latrocínio, já que a vítima teve a moto subtraída, além de objetos pessoais e uma quantia em dinheiro roubados pela dupla.

Já a mulher encontrada morta pode ser ex-companheira de José Ednaldo. Ela também está desaparecida há alguns dias e seria a proprietária da residência onde o suspeito mora. “A propriedade tem um terreno amplo, e o corpo da mulher também foi jogado na mesma área de mata. Com o que apuramos, acreditamos que ela seria a dona da casa, mas estamos trabalhando para saber mais detalhes da motivação", explicou.

"Esse crime também teria acontecido recentemente. Ela não foi identificada visualmente, mas estava em estado de putrefação”, completou Xavier.

O delegado confirmou que parentes das vítimas devem ser ouvidas ainda nesta semana e o suspeito segue preso.