Brasil

INSS: Emissão de documento da aposentadoria fica mais fácil

25/07/18 - 11h07 - Atualizado em 25/07/18 - 11h07

A aposentadoria do INSS sem sair de casa é realidade para muitos trabalhadores desde a criação do INSS Digital em maio. O que vários segurados podem não saber é que para conseguir o benefício é preciso estar com os registros do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) em ordem, senão o pedido não será concedido. A novidade é que o trabalhador pode conseguir senha para ter o documento em bancos. Quem não tiver acesso à internet, ou dificuldade para criar login e senha no portal do instituto, deve pegar o código inicial no internet banking do Bradesco, Itaú, Mercantil do Brasil, Banrisul e Sicredi para acessar o serviço.

O segurado que for correntista do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica tem como retirar o CNIS nas agências dos bancos. O trabalhador também pode cadastrar login e senha no site Meu INSS e imprimir o extrato previdenciário.

"A checagem, e possível correção dos dados inseridos no CNIS, como informações de entrada e saída nas empresas, facilita a concessão do benefício", explica Adriane Bramante, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP).

Quem tem direito

Pode requerer aposentadoria por tempo de contribuição o trabalhador que tiver contribuído por 30 anos (mulheres) e por 35 anos (homens) para Previdência. Já a aposentadoria por idade pode ser solicitada quando mulheres chegam aos 60 anos e homens aos 65 anos. Nesse tipo, o trabalhador tem que ter contribuído com por, pelo menos, 180 meses, ou seja, 15 anos.

Mais vantajosa para quem atingir os requisitos do INSS, a Fórmula 85/95 soma tempo de contribuição e idade, sendo 85 pontos para mulheres e 95 pontos para homens. Mas essa regra só vai valer até o final deste ano. Em 2019, passará a ser 86/96.

Essa fórmula de cálculo aumenta o valor do benefício em quase R$ 1 mil. Isso porque quem se enquadra na regra tem direito a receber a aposentadoria integral, em que não incide o fator previdenciário, que em alguns casos reduz o benefício em até 40%.

Segundo levantamento do próprio instituto, somente no Rio, 2.672 pessoas conseguiram o benefício até junho deste ano. Desse total, 2.087 eram aposentadorias por idade e outras 585 por tempo de contribuição. Além de 13 benefícios de salário maternidade.

Como criar login e código

Para fazer o cadastro no Meu INSS, o segurado deve ter em mãos carteiras de trabalho, contracheques, além de documentos pessoais, como identidade e CPF. Ao acessar o portal, logo na primeira página, escolha a opção "login" no topo ao lado direito da tela.

Em seguida abrirá a janela cidadão.br. Nela, clique em "primeiro acesso". Na outra página, assinale "cadastre-se" do lado direito na parte de baixo da tela.

Em seguida, será pedido número de CPF, nome completo, data de nascimento, nome da mãe e estado de nascimento para fazer o login. Após clique em "próximo".

Neste acesso, o trabalhador responde a cinco perguntas sobre o histórico previdenciário. Após isso, é gerado um código de acesso que será trocado por uma senha que deve conter nove caracteres, entre eles uma letra maiúscula e um número. Ao final selecione "próximo".

Depois de preencher todas as informações, o site pedirá permissão para que seus dados sejam usados no site Meu INSS. Escolha "autorizo" para prosseguir. Pronto: login e senha criados.