Política

Integrante da Comissão, Tereza Nelma diz que voto impresso é retrocesso

TNH1 com Assessoria | 05/08/21 - 11h44 - Atualizado em 05/08/21 - 12h44

Tem alagoana na Comissão Especial da Câmara que analisa a a proposta do voto impresso.  A deputada Federal Tereza Nelma irá compor a Comissão Especial da Câmara que analisa a Proposta de Emenda à Constituição para instituir o voto impresso. Tereza Nelma, que já expôs na imprensa e em suas redes sociais sua opinião à respeito do tema, foi indicada para representar o PSDB e votará contra a matéria.

Será nesta quinta-feira (05), às 14h, que a Comissão definirá se aceita ou não o texto substitutivo à matéria elaborado pelo deputado Filipe Barros (PSL-PR), relator do tema.  Ao que tudo indica, o cenário é desfavorável para o parlamentar, que ainda não conseguiu convencer  a maioria dos integrantes do colegiado. Sendo assim,  a tendência é de que o parecer dele não seja aprovado, enterrando as discussões da matéria defendida pelo presidente Jair Bolsonaro. 

Tereza Nelma afirmou em suas redes sociais que o voto impresso representa o retrocesso e que, no momento de crise por qual passa o país, há outros assuntos mais relevantes que precisam estar em pauta em prol da população brasileira. “Sou contra porque não acredito que o voto impresso trará lisura e segurança para o eleitorado. Estamos votando eletronicamente há 25 anos e não há nada que justifique a mudança. O TSE garante a integridade das urnas eletrônicas e não há nada que comprove o contrário. Não se muda um sistema de votação assim, do dia para noite, sem amplo debate e sem justificativas consistentes”, ressaltou Nelma.