Maceió

JHC assina decreto que libera apresentações musicais em bares e restaurantes

Redação TNH1 | 06/01/21 - 07h11 - Atualizado em 06/01/21 - 07h15
Edvan Ferreira / Secom Maceió

O prefeito João Henrique Caldas (JHC) anunciou na noite dessa terça-feira (5), por meio das redes sociais, que assinou o decreto liberando as apresentações musicais nos bares e restaurantes de Maceió. 

"Acabo de assinar o decreto para o retorno das atividades de músicos e artistas em bares e restaurantes. Com diálogo, construímos protocolos de segurança para permitir que a classe volte a trabalhar de forma honesta e com responsabilidade", publicou o prefeito nas redes sociais.  

A prefeitura já havia sinalizado ontem, após reunião com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Alagoas (Abrasel-AL), que iria autorizar a liberação das apresentações musicais. A expectativa agora é que o decreto seja publicado no Diário Oficial do Município. 

A proposta inicial na reunião entre Abrasel-AL e a prefeitura foi intitulada de “vamos aplaudir sentados” e apresentou um protocolo específico a ser seguido pelas casas que quiserem promover a realização de apresentações musicais. O comitê dos artistas, que representou os músicos do estado, reforçou que mais de 12 mil músicos estavam temporariamente sem fonte de renda, vista a suspensão da realização dos eventos.

Entenda

O Governo de Alagoas publicou, na véspera de Natal, o decreto emergencial que endurece o plano de distanciamento social controlado para o combate da Covid-19. O documento foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) no início do dia 24, com a atualização do planejamento de que bares e restaurantes poderão funcionar diariamente entre as 6h da manhã até a 0h do dia subsequente, sendo proibido nestes estabelecimentos a execução de música ao vivo, pela vigência de 15 dias.

A decisão provocou indignação da classe musical. Músicos e trabalhadores do segmento realizaram, no dia 26 de dezembro, um protesto contra o decreto do governador Renan Filho. O protesto foi iniciado na orla e seguiu até a frente do prédio onde o governador reside, no bairro Ponta Verde, parte baixa de Maceió. No último dia 1º de janeiro, a categoria realizou mais um protesto, pedindo pela volta das atividades.