Maceió

Justiça dá 24h para proprietária recolocar janelas e esquadrias em cobertura de prédio no Farol

Redação TNH1 | 05/05/21 - 18h22 - Atualizado em 05/05/21 - 18h45
Reprodução

A Justiça deu prazo de 24h para que a proprietária da cobertura de um prédio de classe média, localizado no bairro Farol, recoloque todas as janelas e esquadrias que ela havia retirado da estrutura do apartamento em que morava.

Moradores que ainda permanecem no prédio ficaram preocupados depois que a proprietária da cobertura retirou janelas, esquadrias e até o piso do imóvel. Eles temem que o sucateamento do apartamento danifique toda a estrutura do prédio. O residencial ainda conta com cerca de 30 famílias e há relatos de infiltrações recentes causadas pela retirada do material.

O prédio está inserido na área monitorada pela Defesa Civil Municipal devido à proximidade com o bairro do Pinheiro, um dos quatro bairros que sofrem com instabilidade de solo (Pinheiro, Bebedouro, Mutange e Bom Parto), causada pela extração de sal-gema pela Braskem.

Em sua decisão, o juiz plantonista Sérgio Wanderley Persiano ressaltou que a proprietária “não poderia retirar do referido imóvel qualquer objeto ou bem que comprometa a estrutura do prédio, como exemplo, janelas e esquadrias, uma vez que sua retirada proporcionam a entrada da água da chuva, bem como de animais, o que poderá expor o edifício a danos em sua estrutura”.

O magistrado ainda determinou multa de R$ 1.000 diários, “justificada pela extrema urgência da situação”.