Futebol Nacional

Lembra deles? Cinco contratações 'inexplicáveis' de gigantes brasileiros

Torcedores.com | 07/04/20 - 11h00 - Atualizado em 07/04/20 - 11h28
Divulgação/Flamengo

Quando seu clube vai ao mercado, se esperam coisas boas, certo? Nem sempre. Os clubes brasileiros já fizeram negócios completamente sem explicação e contrataram jogadores para lá de questionáveis.

Veja uma lista de 5 contratações inexplicáveis de clubes brasileiros:

Val Baiano – Flamengo
O centroavante jogou em clubes pequenos durante toda a carreira, mas teve sua melhor fase no Grêmio Barueri em 2009, já aos 29 anos, quando marcou 18 gols em 33 jogos. O Monterrey, do México, investiu em Val Baiano e o levou para lá no segundo semestre daquele mesmo ano. O Flamengo, porém, em um ato estranho, resolveu que era a hora de colocar o jogador em um grande clube e contratou o atacante. Foram três gols em 18 jogos e apenas alguns meses de clube.

Max Pardalzinho – Palmeiras
O atacante chegou ao Palmeiras em 2011 como uma aposta de Luiz Felipe Scolari, que teria visto o atleta no Vila Nova, de Goiás, onde marcou cinco gols em 28 jogos. Ainda jovem, Pardalzinho era o exemplo do atleta que tinha muito o que evoluir antes de passar por um grande clube. Dito e feito: foram seis meses de Palmeiras e apenas sete jogos.

Otacílio Neto – Corinthians
Em reformulação para a Série B do Brasileirão 2008, o Corinthians apostou em alguns jogadores renegado em grandes clubes, em gringos e na contratação de jovens do interior de São Paulo para a competição. Otacílio Neto não entrou em nenhuma dessas características e mesmo assim chegou ao clube para a disputa da segunda divisão. Aos 27 anos, vinha de sua melhor temporada da carreira no Figueirense, onde marcou apenas sete gols em 27 jogos. No Corinthians foram apenas 21 jogos e três gols.

Nilson – Santos
O atacante ficou muito marcado por seu erro na final da Copa do Brasil de 2015, contra o Palmeiras, mas a verdade é que há poucas explicações para que ele estivesse ali naquele momento. O jogador tinha 24 anos e chegou como aposta mesmo sem jamais ter sido goleador na carreira. Ligado ao Cianorte na ocasião, havia passado pelo São Bento, onde marcou dois gols em dez jogos. No Santos foram apenas 16 jogos e um gol.

Wilder Guisao – São Paulo
O colombiano chegou ao São Paulo como aposta de Juan Carlos Osorio, mas nunca deslanchou. As características até agradaram ao torcedor no início, mas as falhas técnicas se sobressaíram e o jogador se tornou uma piada para os torcedores. Foram 14 jogos em um ano e apenas um gol marcado.