Maceió

Maceió começa a vacinar população de 16 anos contra a Covid-19

Da Redação, com assessoria | 28/08/21 - 11h02 - Atualizado em 28/08/21 - 11h11
População já pode se dirigir aos pontos fixos de imunização da capital | Ascom SMS

Maceió iniciou neste sábado (28) a aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19 para a população de 16 anos ou mais, sem comorbidades, com as iniciais de A a G. A vacina está disponível nos oito pontos fixos de vacinação. A população de 12 a 17 anos, com comorbidades ou com deficiência permanente, também já pode se vacinar, exclusivamente nos dois drive-thrus de Jaraguá e Serraria.

No domingo (29), será a vez dos adolescentes de 16 anos da letra H à letra N, em todos os pontos de vacinação. Adolescentes com comorbidades ou com deficiência permanente dos 12 aos 17 anos podem se vacinar exclusivamente nos drive-thrus.

Já na segunda-feira (30), a primeira dose estará disponível ao público adolescente de 16 anos, das letras O a Z, em todos os pontos de vacinação, e de adolescentes com comorbidades, dos 12 aos 17 anos, exclusivamente nos drive-thrus. A população remanescente dos demais grupos etários ou preferenciais que não tenha tomado a primeira dose pode se vacinar em qualquer ponto.

Os pontos localizados na Praça Padre Cícero (Benedito Bentes), Papódromo (Vergel), Terminal do Osman Loureiro e Ginásio Arivaldo Maia (Jacintinho) funcionarão no horário das 9h às 16h. Já os drive-thrus de Jaraguá e Serraria, bem como os dos shoppings Pátio (Cidade Universitária) e Maceió (Mangabeiras), terão Corujão, funcionando das 9h às 21h.

No terceiro dia da vacinação de adolescentes com 17 anos ou adolescentes com comorbidades de 12 a 17 anos, foram vacinadas 8.204 pessoas, sendo 5.895 com a primeira dose e 2.309 com a segunda dose. Nos três primeiros dias de vacinação para adolescentes, foram vacinados, em Maceió, 5.916 pessoas com 17 anos e sem comorbidades, além de 316 adolescentes de 12 a 17 anos, com comorbidades. 

Documentos necessários

Para se vacinar com a primeira dose, é necessário apresentar documento de identificação com foto, CPF e comprovante de residência (original e cópia). Os adolescentes de 17 e 16 anos podem se dirigir aos pontos de vacinação desacompanhados. Já os de 12 a 15 anos deverão estar, necessariamente, acompanhados de pai, mãe ou responsável. Diante de impossibilidade da presença destes, é necessário que esteja acompanhado de pessoa maior de idade e que apresente declaração de autorização dos pais para a imunização. A declaração pode ser escrita a próprio punho.

Segunda dose

A segunda dose das vacinas segue disponível nos pontos de vacinação. Quem vai completar o ciclo com a Coronavac, porém, deve se dirigir exclusivamente ao Shopping Pátio. Já quem vai tomar a segunda dose da Astrazeneca ou Pfizer pode ir a qualquer um dos pontos.

Para a segunda dose, basta apresentar o documento de identificação com foto e o cartão de vacinação. Quem perdeu o cartão pode solicitar a segunda via no posto onde tomou a primeira dose. Pessoas com deficiência visual que, ao tomar a primeira dose, tenham recebido o cartão convencional podem solicitar a substituição pelo cartão em braile no ponto onde tomaram a segunda dose.

Comorbidades

Para ser imunizada, a pessoa com comorbidade precisa apresentar documento com foto e CPF, além de um dos documentos a seguir, com cópia que fica retida no local de vacinação: prescrição médica para a vacina contendo a condição que justifique a imunização; exames específicos que estabeleçam o diagnóstico; relatório médico; ou cadastros específicos no Sistema Único de Saúde (SUS).

Confira a lista de comorbidades

Estão inseridas nesta etapa as pessoas com deficiência permanente física, mental, intelectual ou sensorial, incluindo portadores de doenças raras e que causam deficiências intelectuais e/ou motoras e cognitivas.

Para se vacinar é necessário apresentar documento com foto e CPF, original e cópia de Comprovante de Residência e algum documento que comprove a condição, como o laudo médico que indique a deficiência; cartões de gratuidade no transporte público; documento que indique se tratar de pessoa com deficiência; comprovante de recebimento do Benefício de Prestação Continuada (BPC); e documento comprobatório de vinculação a Centros de Reabilitação e/ou Unidades Especializadas no atendimento às pessoas com deficiência.

Nos casos de deficiência física aparente ou visível que causem limitações, não será obrigatório a apresentação do documento comprobatório. Para a vacinação de adolescente, o único imunizante autorizado, até o momento, é a vacina da Pfizer.