Brasil

Maconha com selo dos Jogos Olímpicos é vendida no Rio

01/07/16 - 17h35 - Atualizado em 01/07/16 - 18h00


A menos de 100 dias dos Jogos Olímpicos, a polícia investiga a origem de supostas trouxinhas de maconha, cujas fotos circulam na internet, com o símbolo das Olímpíadas e com a seguinte inscrição: “Hidropônica\ R$ 30,00\ Complexo PL e do PG\Qualquer violação reclamar na boca”. A maconha hidropônica tem efeitos mais fortes, pois é cultivada em laboratório.

Complexo do PL e do PG geralmente são as siglas usadas por traficantes de Paracambi, na Região Metropolitana, e que seriam referentes a líderes das facções Comando Vermelho (CV) e Terceiro Comando (TC), que atuariam juntas em algumas favelas, como nas imediações do bairro Beira-Linha.

A divulgação de uma das fotos causa reações de espanto junto aos internautas. “O Rio de Janeiro está preparado para os Jogos Olímpicos”, questiona uma das internautas pelo Facebook. “O melhor é o "qualquer reclamação reclamar na boca"”, diz outro post.

A polícia já constatou que maconha com embalagens com a logomarca das Olimpíadas no Rio tem sido vendida desde o mês passado em diversas comunidades dominadas pelo tráfico. Pequenos tabletes de maconha com o carimbo do símbolo dos Jogos,

apresentado de outras formas nas embalagens, são comercializadas, por exemplo, na Cidade de Deus, na Zona Oeste.

No dia 1º de março, 29 trouxinhas com o mesmo símbolo também foram apreendidas por homens do 41 º BPM (Irajá), no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte. A 27ª DP (Vicente de Carvalho) investiga a origem da droga. O Comitê Rio-2016 não comenta o assunto.