Polícia

Mãe de criança de 7 anos denuncia trabalhador da Ceasa por abuso sexual

João Victor Souza com Rádio Pajuçara FM Maceió | 06/04/21 - 08h00 - Atualizado em 06/04/21 - 09h05
O caso foi registrado na Central de Flagrantes de Maceió | Arquivo TNH1

Um homem de 21 anos foi denunciado na manhã desta terça-feira, 06, por abuso sexual contra uma criança de sete anos na Central de Abastecimento de Alagoas, a Ceasa, situada na parte alta da capital. Segundo informações passadas pela família da vítima, o jovem trabalha no local e teria passado a mão nas partes íntimas da menina.

A mãe da criança, que não quis se identificar, concedeu entrevista ao repórter Hélio Góes, da Rádio Pajuçara FM Maceió, e explicou que acompanhou o momento em que o suspeito se aproximou da filha e entrou em um departamento da Ceasa com ela.

"A gente foi comprar batatinha, mas ficamos andando, como sempre fazemos. Nesse intervalo, estavam descarregando laranja, minha filha viu uma cair no chão e foi pegar. Eu e minha amiga ficamos observando e vimos esse rapaz chamar ela", iniciou a mãe.

"Ele foi andando com ela até um quartinho. Ela ficou na porta num primeiro momento, não entrou. Mas fiquei olhando, aí ela disse que entrou para pegar a maçã. A minha filha ficou toda estranha depois, quando chegou perto de mim, ela já chorando disse que ele tinha abraçado ela e pego no bumbum dela. Ela disse que ele pegou. Ela encheu os olhos de lágrimas e jurou que ele tinha pego", continuou.

A mulher afirmou que foi tomar satisfação com o suspeito e que a criança chegou a enfrentá-lo. "Ele disse que não passou [a mão], que só deu um abraço. Mas minha filha disse na frente dele que ele passou, pediu para ele falar a verdade, mas ele continuou negando", destacou.

O homem de 21 anos confirmou que deu um abraço na menor, mas negou ter tocado nas partes íntimas dela. Ele declarou também que queria oferecer uma fruta, pois é normal doar alimentos para as pessoas que passam perto do setor de trabalho dele.

"Eu estava no meu setor de trabalho, aí passou uma criança. Ela estava pegando laranjas lá, só que eu chamei ela para dar uma maçã, porque nós trabalhamos com maçã. Aí ela veio, abriu a sacola e eu botei. Quando ela ia saindo eu disse 'dê um abraço no tio' e ela deu o abraço e saiu. Aí depois veio a mãe dela dizendo que eu passei a mão nela, só que eu não passei", disse o homem.

"Uma coisa que eu não fiz, eu só fiz dar um abraço. Ela entendeu que eu passei a mão nas partes íntimas nela, no bumbum dela, eu não fiz isso. Nunca fui preso na minha vida. Sou trabalhador, trabalho com frutas no Ceasa. Nós damos maçãs ao povo que chega lá, chega muita gente, e eu fui dar a maçã a ela. Eu não sou nenhum monstro não. Eu saio de casa meia-noite, largo do trabalho às 3 ou 4 horas da tarde. Eu tenho filha", acrescentou o suspeito.

O jovem, a mulher e a criança foram conduzidos por militares do Batalhão de Polícia de Guarda (BPGd) até a Central de Flagrantes, no Farol, e vão ser ouvidos pelo delegado plantonista.