Justiça

Maus-tratos: dono de hospital, médico veterinário está proibido de exercer profissão  

TNH1 | 05/06/21 - 12h19 - Atualizado em 05/06/21 - 16h21
Hospital veterinário está interditado por falta de licença ambiental | Foto: Ascom Sedet

Após denúncia de maus-tratos e negligência, a justiça determinou que um médico veterinário e também proprietário de um hospital para animais no bairro Barro Duro, em Maceió, está proibido de exercer a atividade.

Como parte das sanções, ele também fará uso de tornozeleira eletrônica. 

O hospital veterinário foi denunciado recentemente e está interditado por falta de licença ambiental, entre outras irregularidades.

"Após a representação realizada pela Delegacia de Crimes Ambientais, o Tribunal de Justiça de Alagoas determinou o uso de tornozeleira eletrônica por parte dos investigados, bem como a proibição do exercício da medicina veterinária e atividades correlacionadas", detalhou o delegado Leonan Pinheiro, responsável pelas investigações. 

Segundo o delegado, o inquérito policial sobre o caso já ultrapassa 300 páginas. "Já foi recebido pelo  Ministério Público, que ofertou denúncia e foi recebida pelo Judiciário", disse. 

Conforme denúncia, animais foram levados para tratamento no hospital e acabaram saindo mortos por negligência. O caso mais recente é do husky siberiano Lock  e ganhou repercussão em Maceió. O filhote de apenas 7 meses morreu após dar entrada na unidade com uma pata quebrada.

O TNH1 entrou em contato com a defesa do suspieto, que ficou de enviar uma resposta.