Alagoas

Ministério Público investiga contratação de influenciador digital pela Prefeitura de Pilar

Camilla Bibiano* | 20/02/19 - 11h30 - Atualizado em 21/02/19 - 00h00
Rey Costa | Arquivo Pessoal/Instagram

O Ministério Público Estadual abriu um inquérito civil público para investigar a contratação do influenciador digital Rey Costa pela Prefeitura do município de Pilar. A ação foi publicada no Diário Oficial de Alagoas nesta quarta-feira (20).

O inquérito foi aberto pelo promotor Silvio Azevedo Sampaio, depois da representação formulada pelo vereador Paulo Cavalcante Soares contra a Prefeitura, por conta da contratação de Rey Costa.

O influenciador fechou contrato no valor de R$ 31.590,00 por três meses para divulgar potenciais turísticos, artesanato local, gastronomia e os eventos realizados pela Secretaria Municipal de Turismo, como o Festival do Bagre, Natal e Réveillon. O trato tinha duração até o dia 31 de dezembro de 2018.

A Prefeitura de Pilar emitiu nota afirmando que os custos com o influenciador são menores do que uma campanha feita por outros meios. Confira a nota na íntegra:

O prefeito Renato Filho informa que a contratação do influenciador digital ocorreu por conta do grande alcance dele nas redes sociais e para divulgação dos eventos de Pilar e do turismo local. Os custos são bem menores do que uma campanha de mesmo alcance, segundo apurou a prefeitura.

Toda contratação ocorreu por meio de processo administrativo na modalidade inexigibilidade, conforme art. 25 da lei 8.666/93, levando em consideração a notoriedade no âmbito nacional do artista (influenciador digital), o que inviabiliza a competição.

O influenciador foi procurado pelo TNH1 para comentar o caso, mas não atendeu às ligações.


*Estagiária sob supervisão da editoria