Alagoas

Morre gata que teve pele arrancada e rabo cortado em Maceió

Redação TNH1 | 21/04/19 - 08h15 - Atualizado em 21/04/19 - 08h18
Reprodução/Instagram

Resgatada na última quarta-feira (17), a gatinha Melissa, que havia sido esfolada viva e tido parte do rabo arrancado, não resistiu ao tratamento e morreu. A informação foi divulgada neste domingo (21), pelo Projeto Acolher, por meio de uma rede social.

O ato de crueldade contra o animal causou revolta na internet e deixou internautas chocados durante esta semana. Fotos e vídeos da gatinha viralizaram na web. O caso teria acontecido no bairro Vergel do Largo, em Maceió, onde o felino foi encontrado.

Desde então, Melissa ficou aos cuidados de uma clínica veterinária e esteve com mais 50% do corpo sem pelos. Já debilitada, a gatinha apresentou desidratação, infecção e extensa lesão. 

No perfil do Instagram, a ONG lamentou o ocorrido e cobrou punição aos responsáveis. "Tenho certeza que ela se sentiu amada durante esses dias. Me pergunto até quando a polícia e a justiça vão permitir que pessoas que cometem esses atos fiquem impunes? O sentimento é de revolta, tristeza e dor!".

A comissão de Bem Estar Animal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AL) atua de modo assistencial em casos como esse e dá suporte ao regaste. Ela também trabalha na conscientização em parceria com as ONG’s e, quando necessário, fornece aparato legal. Porém, não cabe à comissão a investigação relacionada ao crime.

Apesar da lei sancionada em 2010 que cria a Delegacia Especializada de Combate aos Crimes contra o Meio Ambiente, Alagoas não possui nenhuma delegacia desse tipo.