Alagoas

Morre um dos trigêmeos nascidos na última terça-feira

15/02/18 - 12h47 - Atualizado em 15/02/18 - 18h49
Arquivo Pessoal

Um dos trigêmeos, nascidos de forma prematura na noite da última terça-feira no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPPA), não resistiu e morreu na manhã desta quinta-feira, ainda no hospital.

A informação foi confirmada à produção da TV Pajuçara, afiliada da Record TV em Alagoas, pelo avô das crianças, Baltazar Teles, que não entrou em detalhes sobre qual das crianças morreu.

Ontem, Baltazar procurou a imprensa para denunciar que não havia vagas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do hospital. “Eles estão no centro cirúrgico, e a minha nora está muito preocupada. Eles nasceram antes do tempo, são frágeis e precisam desse internamento. Já falei com o pessoal da ouvidoria do Hospital, mas até agora eles alegam que não há vagas”, disse.

Ele disse ainda que no começo da tarde de ontem o hospital comunicou que uma vaga havia surgido, mas com previsão para o final da noite de ontem.

Em nota, a chefia do setor de Urgência e Emergência informou que os bebês eram prematuros "extremos" com "baixo peso severo e alto risco de infecção", e que no dia do nascimento, a UTI Neonatal estava superlotada, mas que eles foram atendidos no Centro Obstétrico.

Confira a nota na íntegra:

Nota à imprensa 

O Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes esclarece que os RN"s nascidos no dia 13.02.2018 eram pré maturos extremos, baixo peso severo e alto risco de infecção. No dia do nascimento a Uti neonatal encontrava-se superlotada (14 RNs de 10 leitos contratualizados), entretanto, todos os RNs foram assistidos e atendidos nas suas demandas dentro do Centro Obstétrico onde aguardavam internados por 24h até conseguirmos encaminhá-los a Uti neo.

Vale ressaltar que o problema da falta de leitos da Uti neo natal não é só do HUPAA, visto que existe um sistema municipal de regulação de vagas interhospitalar, o CORA, e que o mesmo foi acionado quando do nascimento dos RNs estava ciente da situação, entretanto não havia nenhuma vaga de Uti disponível no município.

Apesar da gravidade do caso já presumida desde a indicação da cesariana, o Hospital está prestando toda a assistência necessária.

Monik  K. Santos Lima

Chefe do Setor de Urgência e Emergência


HUPAA-UFAL/EBSERH