Polícia

Motorista de Jetta que matou dois em uma moto na Durval de Góes se apresenta à polícia

TNH1 | 20/08/21 - 12h05 - Atualizado em 20/08/21 - 12h37

O motorista do carro de modelo Jetta, que provocou o acidente que resultou na morte de dois homens que estavam em uma motocicleta, no último sábado, 14, na Avenida Durval de Góes Monteiro, se apresentou à polícia nessa quinta, 19, e prestou depoimento às autoridades. Ele havia deixado a avenida momentos após a colisão e teve o carro incendiado por populares.

O condutor afirmou, durante o interrogatório, que não participava de racha - corrida ilícita praticado em áreas urbanas - e que também não estava embriagado ao volante. Segundo a polícia, o homem disse ainda que não estava em velocidade excessiva no trânsito e que voltou ao trecho da rodovia para prestar assistência às vítimas, porém teria recebido ameaças e agressões da população que presenciou o acidente.

"Ele compareceu ontem para ser interrogado acerca do acidente. Deu a versão dele sobre os fatos informando que não participava de nenhum racha, que não desenvolvia velocidade excessiva e que voltou para prestar assistência às vítimas, porém saiu do local por ter sido ameaçado e agredido por populares. Disse que não se encontrava embriagado no momento do acidente, realizou teste de alcoolemia em um hospital, assim também como toxicológico", disse Denilson Ferreira, chefe de operações da Delegacia de Acidentes e Delitos de Trânsito da Capital.

O homem prestou depoimento e, sem seguida, foi liberado. A Polícia Civil destacou que o inquérito ainda não foi concluído, mas que trabalha para encerrá-lo em breve. Com o depoimento do suspeito, a polícia avança na investigação, que já contava com diligências com testemunhas e com a inclusão de imagens de câmera de segurança, que mostraram as vítimas momentos antes da batida.

Dois mortos com o acidente

O piloto e o passageiro da moto, identificados como José Ailton da Silva, de 44 anos, e Rafael Aparecido Pereira, 36 anos, não resistiram aos ferimentos causados pela batida. Uma câmera de segurança mostrou o momento em que os dois entram na avenida e seguem na faixa próxima ao canteiro, instantes antes da colisão.

O condutor, que provocou a batida, abandonou o veículo no local. Os populares que presenciaram o acidente ficaram revoltados e atearam fogo no Jetta. O Corpo de Bombeiros recebeu o chamado para controlar as chamas e o automóvel ficou totalmente destruído.