Maceió

MP analisa indiciamento na morte de criança eletrocutada em Riacho Doce

Redação TNH1 | 14/04/22 - 17h54
Arquivo pessoal

O Ministério Público do Estado de Alagoas está analisando depoimentos e o inquérito policial para decidir os  próximos passos do inquérito que envolve a Equatorial Alagoas pela morte do menino Lucas Antônio de Jesus, de 8 anos, eletrocutado no dia 29 de janeiro de 2022, após pisar em um fio da rede elétrica que estava caído no chão, no bairro de Riacho Doce, em Maceió. 

O delegado Robervaldo Davino, titular do 6º Distrito Policial (6ºDP) e presidente do inquérito, concluiu que a empresa Equatorial foi responsabilizada por não ter estrutura para atender casos dessa natureza..

O inquérito policial foi enviado ao Ministério Público no último dia 22 de março. Por meio de sua assessoria de comunicação, a Equatorial informou que não se pronuncia sobre investigações em curso.  

O caso - De acordo com os vizinhos, tanto o menino como outras crianças do bairro estavam jogando futebol quando a bola saiu do campo e o menino correu para buscá-la, foi quando se prendeu nos fios e recebeu a descarga elétrica.

Uma das moradoras do bairro contou que ele foi socorrido por um técnico da Equatorial que passava pela rua no momento do ocorrido. "Por coincidência, uma equipe da Equatorial estava passando por aqui quando o menino recebeu o choque, eles pararam o carro, um dos técnicos colocou aquelas luvas e desprendeu a criança. Foi a própria equipe que prestou os primeiros socorros."

Ela conta também que já havia entrado em contato com a Equatorial tanto por ligação telefônica, quanto por WhasApp para notificar o fio partido e a falta de energia no bairro. O menino chegou a ser levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jacintinho, mas não resistiu e morreu na unidade de saúde.