Justiça

MP dá parecer pela manutenção da prisão de acusado de matar capitão da PM

Promotor é contrário ao pedido de liberdade provisória de Agnaldo Lopes Vasconcelos; decisão ficará a cargo de juiz

14/04/16 - 19h21 - Atualizado em 14/04/16 - 19h57
Reprodução

O promotor José Antônio Malta Marques informou ao TNH1, na noite desta quinta-feira (14), que seu parecer é pela manutenção da prisão preventiva de Agnaldo Lopes Vasconcelos, do acusado de matar o capitão da Polícia Militar, Rodrigo Rodrigues, durante abordagem à residência do preso, na semana passada.

O pedido de liberdade provisória foi apresentado pela defesa do acusado. "Agora a decisão ficará a cargo do juiz Geraldo Amorim", disse o promotor.

Caso

O capitão da Polícia Militar (PM), Rodrigo Moreira Rodrigues, 32 anos, foi morto na noite desse sábado (9), durante uma abordagem policial a uma residência de um condomínio de luxo, no bairro de Santa Amélia.

Segundo informações, o militar, que era lotado no Batalhão de Rádio Patrulha, comandava uma guarnição que rastreava o sinal de GPS de um celular que havia sido roubado no bairro do Poço.

Ao chegar à residência, onde possivelmente se encontrava o aparelho, o capitão Rodrigo Rodrigues teria anunciado a chegada da polícia. Como não obteve resposta, o militar teria subido no muro e gritado mais uma vez. Neste momento, ele foi atingido com um tiro disparado de dentro da residência.

Foram três disparos efetuados na direção do militar. Dois deles o atingiram, sendo um no colete à prova de balas, na região do tórax, e o outro na região abaixo da axila. O disparo fatal transfixou o pulmão e teve saída no rosto.

Saiba mais