Maceió

MPE vai fiscalizar aplicação de recursos públicos para bancar festas juninas em Alagoas

Redação TNH1 | 30/05/22 - 16h16
Reprodução Instagram

O Ministério Público de Alagoas (MPAL) vai fiscalizar a aplicação de recursos públicos para bancar as festas juninas nos municípios alagoanos. Em portaria do último dia 24, publicada no Diário Oficial Eletrônico, nesta segunda-feira, 30, o procurador-geral de Justiça, Márcio Roberto Tenório de Albuquerque, determina que os promotores Humberto Pimentel Costa, da capital, e Almir José Crescencio, de Arapiraca, atuem de maneira conjunta na fiscalização do dinheiro público que será aplicado na festa. 

A fiscalização deve acontecer, principalmente, nos contratos e pagamento de cachês de artistas já anunciados em shows previstos para municípios alagoanos, a exemplo da capital Maceió, que deve gastar pelo menos R$ 6 milhões somente na contratações de megaestrelas nacionais, como Gustavo Lima, Wesley Safadão, Luan Santana e Ludmilla, de acordo com levantamento do TNH1. Diante disso e da situação de calamidade provocada pelas chuvas, o próprio MPE recomendou o cancelamento da festa na capital

No último dia 18, o MP de Penedo, já havia se antecipado representado o controlador-geral, o procurador-geral e o secretário da Fazenda de Penedo por contratação irregular de artista, com inexigibilidade de licitação, cujo valor do cachê foi de R$ 200 mil. O promotor de Justiça Eládio Estrela, que atua na área da Saúde, também encaminhou a Notícia de Fato que deu origem à representação, à 2ª Promotoria de Penedo, do Patrimônio Público, para subsidiar as investigações que venham a ser desencadeadas pela mesma.