Polícia

Mulher corre seminua por rua de Marechal em busca de ajuda; marido agressor é preso

TNH1 | 02/10/21 - 07h06 - Atualizado em 02/10/21 - 07h09
Arquivo

Uma mulher de 32 anos, de iniciais A. R. V. A., foi vítima de violência doméstica após ser ameaçada de morte pelo esposo no povoado Barra Nova, em Marechal Deodoro, nessa sexta-feira, 1°. Populares disseram que ela havia corrido seminua pelas ruas à procura de socorro e sofrido agressões físicas do homem. O suspeito, de iniciais G. R. S. C. M. A., também de 32 anos, foi preso em flagrante.

A. R. V. A. contou aos militares que foi acordada aos gritos pelo companheiro. A vítima afirmou também que G. R. S. C. M. A. a feriu e a prendeu dentro do quarto por ela não ter dado a droga que ele havia cobrado. Ainda agressivo, o homem teria dito que os dois iam morrer. O marido então teria revirado a casa em busca da arma e tentado sufocar a mulher pelo pescoço por não ter achado. 

Após uma distração do agressor, a vítima deixou o quarto e escondeu o revólver. Logo depois, ela abandonou o imóvel, tendo que pedir ajuda na rua quase sem roupa. Após o acionamento por meio do Disque Denúncia, de número 181, os agentes da 5° Companhia Independente da PM abordaram a mulher e tomaram conhecimento do crime. 

Com a indicação do paradeiro do suspeito, a polícia se deslocou até a residência do casal, na rua Padre Cícero, e o portão foi aberto depois de minutos de diálogo. O homem foi flagrado ainda com alteração e com desobediência às ordens dos militares. Como houve resistência à detenção, ele foi imobilizado e teve as mãos presas com algemas. 

O revólver e as munições foram recolhidos dentro do carro do agressor. Foram 20 munições ao todo, sendo que seis delas haviam sido deflagradas. Os materiais foram encaminhados à delegacia para os procedimentos cabíveis. 

O esposo da vítima foi ouvido pelas autoridades e autuado por ameaça, com base na Lei Maria da Penha. Ele permaneceu recluso na unidade policial e deve ser submetido a uma audiência de custódia.