Maceió

Mulher dá à luz dentro de carro de aplicativo e motorista relata 'corrida emocionante'

Redação TNH1 | 02/04/20 - 18h40 - Atualizado em 02/04/20 - 19h35
Bebê nasceu no banco de trás do carro, em frente ao HU | Cortesia ao TNH1

O fim de expediente do motorista de aplicativo Williamberg Silva, na noite da última quarta-feira (1º), vai ficar guardado na memória dele e de outra família. O jovem de 25 anos socorreu uma moça em trabalho de parto por volta das 23h para levá-la para o Hospital Universitário (HU), da Universidade Federal de Alagoas. 

Mas o bebê não esperou a corrida terminar e acabou nascendo no banco de trás do veículo, na porta do hospital. Williamberg relatou que o marido da mulher estava desesperado no Conjunto Selma Bandeira e ela estava no Paulo Bandeira. Ambos os conjuntos ficam no Benedito Bentes, na parte alta de Maceió. 

"Eu ia para casa quando vi meu colega de aplicativo falando que um rapaz estava precisando de um carro para levar a esposa dele na maternidade, porque a bolsa dela tinha estourado, aí tinha pouco tempo para o parto acontecer. Não pensei duas vezes. Peguei o marido dela, botei no carro para ir buscar a esposa dele. Quando cheguei lá, ela já estava meio fraca. Colocaram ela no carro e eu fui direto para a maternidade do HU. Quando cheguei nas proximidades do shopping, a cabeça do menino estava saindo já, aí todo mundo gritando dentro do carro. Acelerei e só deu tempo de chegar na porta da maternidade. Quem fez o parto foi uma parente da grávida, porque não deu tempo do médico chegar", contou o motorista.

Após o nascimento da criança, Williamberg afirmou que ficou mais aliviado.

"Fiquei desesperado porque estava no caminho. Quando eu vi que ele nasceu, fiquei sossegado. Fiquei com medo de acontecer algo com o bebê e com a mãe no carro, ia me sentir culpado, porque tentei fazer de tudo... Mas graças a Deus deu tudo certo. Fiquei muito nervoso". 

O motorista detalhou ainda que a pressa para chegar ao hospital rendeu discussão no trânsito. 

"Os carros na frente atrapalhando, eu buzinando e o cara querendo brigar. Eu falando para o cara sair da frente e ele pensando que eu estava bêbado com brincadeira. Eu disse: 'Não, rapaz, é a mulher que está aqui'. Ele começou a falar. Eu adiantei (o carro) e ele veio atrás de mim. Por sorte, segui para o HU e ele foi para a Serraria. Deu tudo certo. Quando chegou lá, um segurança apareceu. Depois uma médica veio fazer atendimento", relembrou. 

O TNH1 entrou em contato com a assessoria de comunicação do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA) para saber mais informações sobre o atendimento e sobre o estado de saúde da mãe e do bebê, mas não obteve resposta até o fechamento da matéria.