Maceió

Mulher pede ajuda ao MP após soltura de ex-marido acusado de abusar dos filhos

13/04/16 - 12h40 - Atualizado em 18/06/19 - 10h46

A mãe de três crianças que foram abusadas sexualmente pelo pai, Márcio Mendonça Braga, segundo concluiu a investigação da Polícia Civil alagoana, procurou nesta quarta-feira (13), o Ministério Público para pedir o monitoramento do acusado, após sua soltura, concedida ontem pela Justiça.

Clarissa Matos afirmou ao TNH1 que teme que o ex-marido volte a procurá-la e tome alguma medida contra ela e os filhos.

Márcio Mendonça Braga foi indiciado e preso no dia 19 de fevereiro deste ano pelo crime de estupro de vulnerável, previsto no artigo 217 A, do Código Penal, que trata da prática de conjunção carnal ou ato libidinoso com menor de 14 anos.

O indiciamento, pela Delegacia de Crimes contra a Criança, foi baseado em exames de corpo de delito realizado nas crianças, em avaliação psicológica e depoimentos delas e ainda em conteúdos existentes no celular do homem, segundo informou ao TNH1 a delegada Adriana Gusmão.

O celular ainda se encontra com a Perícia Oficial do Estado e, segundo a mãe, contém fotos dos filhos sem roupa.

Depois de indiciado, ele teve prisão temporária decretada, posteriormente convertida em prisão preventiva pelo juiz Odilon Marques Luz, da 14ª Vara.

Liberdade

Porém, ontem, outra decisão judicial surpreendeu a mulher. O pedido de habeas corpus feito pela defesa de Márcio foi parcialmente concedido pelo desembargador Sebastião Costa Filho, que determinou medidas cautelares a serem obedecidas pelo acusado.

Ele fica obrigado a comparecer em juízo mensalmente, não pode mudar de residência ou sair de Maceió sem aviso prévio à Justiça, não pode manter contato com os filhos e com a ex-mulher e deve passar a ser monitorado por tornozeleira eletrônica.

Com a soltura de Márcio, o caso ganhou repercussão nas redes sociais, a partir de mensagens e fotos compartilhadas por Clarissa.

O crime

Segundo relatou Clarissa Matos ao TNH1, há seis meses ela começou a desconfiar do marido e passou a observar as crianças. Juntos, eles têm três filhos, de 3, 6 e 9 anos, e ela tem uma filha de outro relacionamento, com 14 anos de idade, que tem deficiência mental. Eles eram casados há 10 anos e há 4 moram em Maceió, no bairro da Ponta Verde.

Ela conta que o filho de 9 anos teria sido o primeiro a contar que o pai costumava molestá-lo durante o banho. Depois, as filhas de 3 e 14 anos disseram à mãe que Márcio sempre passava a mão em suas genitálias.

Clarissa revela que instalou câmeras dentro de casa e flagrou o ex-marido batendo várias vezes nas crianças, além de ter identificado um suposto abuso, na cama.

A mulher diz que procurou Márcio e pediu que ele assumisse os atos e, com isso, ela não tornaria a denúncia pública e o apoiaria em um tratamento psicológico. Após a negativa do homem, ela decidiu denunciar, levando o caso à Justiça e saiu de casa.

Márcio ficou preso durante quase dois meses na Casa de Custódia da Capital, o Cadeião, até ganhar liberdade. “Hoje, temo por mim e por meus filhos. Tenho medo de ele nos matar e fugir para o Rio”, declarou Clarissa, à porta do Ministério Público, na manhã desta quarta.

O MP ainda não se pronunciou sobre o assunto, após receber a mulher. O advogado Welton Roberto deve assumir hoje o caso, como auxiliar de acusação.