Trânsito

Número de acidentes de moto sobe e HGE registra mais de 4 mil casos em 2016

01/02/17 - 15h41 - Atualizado em 01/02/17 - 15h41

O Hospital Geral do Estado (HGE) registrou no ano passado 4.176 atendimentos a vítimas de acidente de moto. Os dados mostram um crescimento deste tipo de ocorrência se comparados aos números de 2015, quando foram registrados 3.836 casos, ou seja, 340 atendimentos a mais durante os 12 meses de 2016.

Fevereiro foi o mês mais violento de 2016, quando 418 vítimas de acidente de moto deram entrada no HGE. No mês anterior o número de 417 vítimas.

Outro dado registrado pelo HGE mostra a redução do número de vítimas de atropelamento. Apesar dos recentes casos de atropelamentos com morte ocorridos, esse tipo de atendimento diminuiu de 1.289, em 2015, para 1.027, em 2016. 

 A educadora de trânsito da SMTT, Audinete Dantas, explicou que a maior causa de acidentes no trânsito é a falta de educação e respeito a legislação em vigor. "A maior causa de acidentes no trânsito é a falta de respeito e educação, seja por parte do pedestre que não tem paciência de procurar uma faixa de pedestre para atravessar, seja por parte dos condutores, que acham que por estarem dentro do carro estão protegidos de qualquer coisa", diz ela.

Nos caso envolvendo acidentes entre carros e motos, a educadora aponta que, na maior parte dos casos, os acidentes ocorrem por culpa do motorista dos carros. "Por incrível que pareça, grande parte dos registros de câmeras que temos de acidentes envolvendo moto e carro indicam que a culpa é do condutor do veículo de quatro rodas. Seja uma conversão indevida, seja uma mudança de faixa sem sinalizar", explicou.

Apesar de concordar em parte com a Audinete Dantas, o chefe do setor de estatística da SMTT, Carlos Moura, aponta a imperícia dos motociclistas como causa dos acidentes. "Os motociclistas também podem provocar acidentes quando fazem conversões sem sinalizar e quando andam no corredor, que, apesar de não ser proibido por lei, desobedece um artigo do Código Brasileiro de Trânsito, que fala sobre a observância à distância lateral dos demais veículos”, analisou.