Polícia

Operação contra facção termina com 31 presos e armas e drogas apreendidas em AL

Redação do TNH1 | 16/08/19 - 12h15 - Atualizado em 16/08/19 - 12h30
Ascom MPE

31 pessoas presas em Alagoas, esse é o resultado de duas operação policiais, uma delas nacional que cumpriu 42 mandados de prisão e 37 de busca e apreensão, contra integrantes de uma facção criminosa, durante o dia de ontem(15). No estado a ação da polícia ocorreu em Maceió e mais oito cidades do Litoral Norte de Alagoas. Nacionalmente a operação cumpriu 300 mandados em mais oito estado. O saldo da operção foi apresentado na manhã desta sexta-feira (16), durante uma entrevista coletiva na sede do Ministério Público Estadual (MPE), no bairro do Poço, em Maceió.

De acordo com o promotor Hamilton Carneiro, o MPE instaurou três procedimentos investigatórios criminais que foram integrados a operação nacional. “Essas operações, resultaram nas prisões de 31 pessoas, sendo 26 ligadas a operação nacional, e outras cinco pessoas que foram presas em flagrante, na operação Mulungu, que tinha o mesmo objetivo”, explicou.

O promotor afirmou que Alagoas foi o segundo estado do país, entre os Estados que participaram da operação, onde mais mandados de prisão foram cumpridos. “Foi, sem dúvidas, uma operação muito exitosa. Cumprimos 26 mandados de prisão, dos 42 expedidos. Os outros 16 mandados, ainda não cumpridos, são contra pessoas que já são consideradas foragidas pela polícia, e que podem ser presas a qualquer momento”, afirmou.

Já o delegado Gustavo Henrique, titular da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico, chamou a atenção para o fato de três dos mandados de prisão cumpridos em Alagoas, terem como alvos pessoas que estão a disposição da Justiça no Sistema Prisional do Estado.

"Essa não foi a primeira vez, nem será a última, que a polícia cumpriu mandados de prisão de pessoas que estão presas. Eu mesmo já cumpri quatro, cinco, seis vezes... mandados com a mesma pessoa presa no sistema prisional. Então é importante rever a forma de comunicação desses presos com o mundo externo, uma vez que eles continuam participando de crimes", afirma.

Em Alagoas, os mandados foram cumpridos em Maragogi, Japaratinga, Porto Calvo, São Luiz do Quitunde, Matriz do Camaragibe, Paripuira e São Miguel dos Milagres, além de Maceió, já citada na matéria.

Saldo

Além das prisões, três armas de fogo, sendo duas pistolas e um revólver, foram apreendidas. Em Matriz de Camaragibe, a polícia recolheu 37 bombinhas de maconha e cerca de 200 gramas de cocaína. Já em Maragogi, uma balança de precisão, 224 gramas de maconha, oito gramas de crack e mais 44 bombinhas de crack foram encontrados durante o cumprimento dos mandados.

O Ministério Público Estadual afirma que a operação é referente aos crimes de tráfico de drogas e organização criminosa e os alvos foram três células diferentes do PCC, uma facção criminosa que atua em todo o Brasil. Além disso, o MPE afirma que as drogas - maconha, crack e cocaína - comercializadas pela organização criminosa no Litoral Norte de Alagoas saem de Maceió.

A operação ocorreu também, de forma simultanea, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Rio de Janeiro. Ao todo, haviam mais de 300 mandados judiciais, de prisão e de busca e apreensão, sendo cumpridos.