Polícia

Operação das polícias civis de Alagoas e Sergipe prende suspeito de praticar golpes em site de vendas

Ascom PC-AL | 06/03/20 - 07h19 - Atualizado em 06/03/20 - 07h31
Fachada Cope | Foto: Reprodução

Policiais civis de Sergipe (Centro de Operações Especiais – Cope e do Departamento de Inteligência da Polícia Civil – Dipol), com o apoio da Divisão de Inteligência da Gerência de Polícia Judiciária da Região 1 (GPJR1), coordenados pela delegada Ana Luiza Nogueira, prenderam um suspeito que possuía dois mandados de prisão em aberto, pela prática do crime de estelionato, em Sergipe, e pela prática do crime de roubo, em Alagoas. 

De acordo com as informações policiais, o acusado fez cerca de 450 anúncios falsos em um site de vendas, ao longo de seis meses, utilizando mais de 400 contas falsas, totalizando cerca de R$ 600 mil em negociações de produtos que não existiam. 

Após se interessarem pelos anúncios criados pelo investigado, as vítimas entravam em contato com suspeito, através de um aplicativo de mensagens, e transferiam o dinheiro para contas bancárias informadas por ele. Em seguida, ele excluía o anúncio e bloqueava o contato da vítima, deixando-a no prejuízo.

Ainda segundo as informações,ele também angariava pessoas para emprestarem suas contas bancárias para que as vítimas pudessem concluir os depósitos em contas de terceiros e assim manter sua identidade preservada.  A empresa responsável pelo site de vendas enviou um representante do Setor de Segurança que auxiliou nos levantamentos dos dados.

 A delegada Mayra Moinhos, da Divisão de Inteligência e Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), de Sergipe, explicou a ação do suspeito na prática dos crimes. “A operação Linha Branca foi deflagrada para apurar crimes de fraudes na modalidade de estelionato. É uma pessoa que já tem processos na Justiça. Ele se utilizava de sites e aplicativos de compra e venda de produtos novos e seminovos. Ele fazia o anúncio por preços abaixo do mercado, se vinculando a lojas de eletrodomésticos dizendo que se tratava de uma promoção. Após a vítima se interessar pelo anúncio, e pagar um sinal, ele tirava o anúncio e a vítima se dava conta de que tinha caído em um golpe”.

 As investigações prosseguem. “Nós identificamos oito boletins de ocorrência de ações criminosas praticadas por ele. A investigação continua no sentido de apurar quem emprestava as contas bancárias e qual o volume de crimes praticados por ele”, concluiu a delegada.

 O acusado foi levado ao COPE onde prestou esclarecimentos e se encontra à disposição da Justiça em ambos os estados.