Polícia

'Operação Ruína': dois homens e uma mulher são presos suspeitos de tráfico em AL

Redação com Ascom SSP-AL | 03/03/20 - 08h40 - Atualizado em 03/03/20 - 08h53
Arquivo TNH1

A Secretaria de Segurança Pública de Alagoas, em parceria com as Polícias Civil e Militar, deflagrou, nesta terça-feira (03), uma operação para desarticular duas organizações criminosas distintas atuantes no tráfico de drogas em Alagoas. Dois homens e uma mulher foram presos durante a ação, nos bairros Canaã, em Maceió, e Cruzeiro do Sul, em Rio Largo. 

A operação, denominada ‘Ruína’, é fruto de seis meses de trabalho conjunto entre o Batalhão de Radiopatrulha (BPRp), a Delegacia de Narcóticos (Denarc) e a Secretaria da Segurança Pública de Alagoas (SSP/AL). Durante as investigações, ficou constatada a atuação das organizações em Rio Largo, Maceió e no interior de São Paulo.

Ao todo, foram cumpridos 18 mandados de prisão, busca e apreensão, sendo cinco deles cumpridos em São Paulo. Os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital.

O primeiro grupo criminoso atuava no Cruzeiro do Sul e era liderado por um reeducando que se encontra custodiado no sistema prisional pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

A segunda organização criminosa identificada atuava no Canaã. O líder dessa organização criminosa dava ordens de São Paulo. É conhecido pelos agentes de segurança pública de Alagoas por participação na execução do policial militar Ivaldo Oliveira da Silva, crime ocorrido após um assalto frustrado a uma agência bancária, no município de Porto de Pedras. Ele chegou a ser preso, mas, em janeiro de 2015, conseguiu fugir do sistema prisional.  

De acordo com as investigações, após a fuga, o criminoso foragiu com sua a família para o interior de São Paulo e passou a comandar, mesmo à distância, o tráfico de drogas no bairro do Canaã, em Maceió, abastecendo a região com drogas vindas de outro estado. Este indivíduo foi preso durante cumprimento de mandado em São Paulo. 

Participaram da operação policiais militares do Batalhão de Radiopatrulha (BPRp), do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), além do Grupamento Aéreo e policiais civis da Delegacia de Narcóticos (Denarc), Tigre e Asfixia.

A população pode colaborar com o trabalho da Segurança Pública repassando informações sobre estas organizações criminosas por meio do Disque Denuncia 181. A ligação é gratuita e o anonimato garantido.