Alagoas

Padre que chamou pobres de "raça miserável" vai retornar para Sergipe; veja vídeo

Redação TNH1 | 07/02/19 - 14h18 - Atualizado em 07/02/19 - 15h07
Reprodução BR-104

A Arquidiocese de Maceió informou, por meio de nota, nesta quinta-feira (07), que o vínculo do Padre Givaldo Rocha, da Paróquia Senhora Sant’Ana, em Santana do Mundaú, foi “encerrado” após ordem de Dom Antônio Muniz, Arcebispo da capital alagoana. O pároco se envolveu em uma polêmica durante a festa da padroeira da cidade, quando se referiu aos pobres como “raça miserável”.

Ainda segundo o comunicado, o padre estava em território arquidiocesano de Alagoas por experiência pastoral e agora retorna para a Igreja de origem, a Diocese de Propriá, em Sergipe. 

O Padre Givaldo Rocha foi flagrado em vídeo falando à população quando fez a declaração polêmica. Assista ao momento:

Leia a nota na íntegra:

A Arquidiocese de Maceió comunica que o padre Givaldo Rocha de Santana, da Diocese de Propriá, em Sergipe, que exercia a função de administrador paroquial na Paróquia Senhora Sant’Ana, na cidade de Santana do Mundaú, não é *incardinado no Clero da Arquidiocese de Maceió. Portanto, o sacerdote estava no território arquidiocesano em experiência pastoral.

E, agora, por ordem do Arcebispo Metropolitano de Maceió, Dom Antônio Muniz Fernandes, no final do mês de fevereiro do corrente ano ele retorna a sua diocese de origem, em Propriá-SE.

*INCARDINAÇÃO: Termo jurídico canônico usado pela Igreja para exprimir o vínculo jurídico do sacerdote com a Arquidiocese.