Polícia

PC vai investigar incêndio que destruiu veículos em caminhões-cegonha

TNH1 | 28/10/20 - 09h55 - Atualizado em 28/10/20 - 10h41
Reprodução

A Polícia Civil de Alagoas vai instaurar inquérito para investigar o incêndio que atingiu dois caminhões-cegonha carregados de veículos de modelo Jeep, na madrugada desta quarta-feira, 28, no município de Messias. Até o momento, a hipótese de o fogo ter sido causado intencionalmente não está descartada.

O delegado Sidney Tenório, responsável pela investigação, confirmou ao TNH1 que oitivas devem ser realizadas a partir de amanhã, como o colhimento de depoimento dos condutores dos automóveis envolvidos, para tentar identificar as circunstâncias do incêndio. A perícia a ser realizada também vai identificar como as chamas tiveram início.

"Nós vamos colher mais informações, entrar em contato com a Polícia Civil de Pernambuco, já que houve um incêndio semelhante com caminhões-cegonha na cidade de Goiana nesse mês. Vamos procurar saber como foi o modus operandi desses possíveis criminosos. Inclusive, a fábrica da Jeep é na cidade de Goiana. Então são alguns indícios que levantam suspeita de o incêndio, tanto lá, quanto em Alagoas, ter sido criminoso", afirmou.

O Corpo de Bombeiros informou que os veículos incendiados vinham de Pernambuco nesta madrugada e que estavam estacionados em um posto de combustíveis em Messias. 

Ainda segundo informações da corporação, um motorista conseguiu desengatar a carga de uma carreta, porém as duas, dos dois caminhões, foram perdidas. Um dos caminhões também ficou totalmente destruído. 

Incêndio em Goiana

No último dia 17, oito caminhões-cegonha carregados com 74 veículos pegaram fogo no município de Goiana, em Pernambuco. Eles estavam no Pátio da Sada Transportes, na rodovia PE-049, próximo ao acesso à Ponta de Pedras, e um galpão com 26 ônibus também foi atingido.

Na ocasião, uma investigação foi instaurada para apurar as causas do episódio e, segundo a empresa, foi iniciado "um plano de ação orientando as operações de forma a assegurar que os serviços logísticos sejam prestados com a mesma eficiência e qualidade que nos caracteriza, além da imprescindível segurança das pessoas e bens envolvidos".