Polícia

PF busca suspeitos de aplicar golpes que lesaram a Caixa em R$ 600 mil

Dayane Laet com PF-AL | 14/05/19 - 06h47 - Atualizado em 14/05/19 - 07h50
PF cumpre mandados em Maceió e Marechal Deodoro | Cortesia ao TNH1

A Polícia Federal em Alagoas (PF-AL) deflagrou nas primeiras horas desta terça-feira (14) uma operação para cumprir cinco mandados judiciais de busca e apreensão, um mandado de prisão preventiva, além do sequestro de bens móveis e imóveis, expedidos pela 2ª Vara da Justiça Federal em Alagoas, nos municípios de Maceió e Marechal Deodoro.

A ação, batizada de Facetas, é resultado de uma investigação iniciada no ano de 2017. O prejuízo causado pelos envolvidos pode chegar a R$ 600 mil. A acusação é de que os envolvidos falsificavam documentos de identidade, substituindo a foto do documento original pela imagem de outras pessoas. Também falsificavam recibos e extratos de imposto de renda para comprovação de renda e com isso abriam contas bancárias com utilização do limite, contratação de CDC e cartão de crédito. Uma corretora de imóveis foi presa.

Veja vídeo:

Ainda de acordo com a PF-AL, os envolvidos também falsificavam certidão de registro de imóvel, utilizada para simulação de financiamento imobiliário, além de usar terceiros para esconder o dinheiro obtido com os golpes nas instituições bancárias.

O sequestro de bens móveis e imóveis dizem respeito a dinheiro em contas bancárias, veículos, casas e apartamentos, visando possibilitar o ressarcimento do que foi desviado da Caixa Econômica Federal. Após a investigação, seis inquéritos foram instaurados na Superintendência Regional da PF em Alagoas. As investigações continuam.

Os envolvidos serão acusados dos crimes de falsificação de documento público (artigo 297 do Código Penal), falsificação de documento particular (artigo 298), estelionato majorado (artigo 171, §3º), lavagem de dinheiro (artigo 1º, da lei 9613/98) e associação criminosa (artigo 288 do Código Penal), cujas penas máximas somadas ultrapassam 30 anos de prisão, além de implicar em perda de patrimônio para ressarcir o patrimônio da Caixa Econômica Federal.