Polícia

Pistola de PM dispara e atinge militar no momento em que ele ia algemar suspeito

Redação TNH1 | 28/07/20 - 17h48 - Atualizado em 29/07/20 - 16h50
Pistola Taurus PT 24/7: relatos de falhas e acidentes | Reprodução

Foi na tarde dessa segunda-feira, 27, por volta de 16h, no bairro Forene, parte alta de Maceió. O cadete da Polícia Militar (PM) Charlandison Rodrigues, 30 anos, estava no meio de uma abordagem. Já havia dominado o suspeito, que estava de posse de um revólver e uma espingarda. Só precisava algemá-lo e colocá-lo dentro da viatura. No momento em que foi guardar a arma no coldre para pegar as algemas, a pistola Taurus PT 24/7 disparou sozinha. Foram três tiros, dois dos quais atingiram o pé direito do militar. 

Charlanderson foi socorrido imediamente por dois companheiros de guarnição, enquanto outros dois concluíam a ocorrência. Levado para a emergência da Santa Casa de Misericórdia, ele foi submetido a cirurgia e passa bem. Um tiro atingiu a parte de cima do pé e o outro acertou dois dedos. O militar deve receber alta nesta quarta-feira.

O episódio expõe o perigo a que estão submetidos os militares que vão às ruas portando a pistola Taurus 24/7, cujos relatos de falha da arma são conhecidos no meio policial. Em matéria publicada pelo El País, em 2018, o assunto já era motivo de preocupação. No texto, há a infromação de que nos quartéis a pistola 24/7, chamada de vinte e quatro barra sete, ‘foi rebatizada de mata-sete, em função da sua baixa confiabilidade e grande número de incidentes’. 

Há um ano, a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) determinou o recolhimento imediato de 12.438 pistolas da marca Forjas Taurus. De acordo com relatórios técnicos, as armas apresentam graves falhas e são inadequadas para uso. A reportagem do Metrópoles apurou que cerca de 34 policiais ficaram gravemente feridos após os equipamentos dispararem sem o acionamento do gatilho, alguns no Distrito Federal. “Pelo menos 172 modelos PT 24/7 PRO, 24/7 PRO-DS e 24/7 PRO Tátical passaram por inspeção. De acordo com a PMDF, ficou comprovado defeito em 100% delas. 

A reportagem do TNH1 entrou em contato com a assessoria da PM, que enviou nota na tarde desta quarta-feira. Leia: 

"A Polícia Militar de Alagoas informa que no dia de hoje (28), durante uma ocorrência no bairro do Rio Novo, houve um incidente envolvendo um Cadete da instituição, em que o militar foi atingindo em seu pé por disparos da arma de fogo que manuseava, no momento em que colocava a pistola no coldre.

 Após o fato, o Cadete foi levado para uma Unidade Hospitalar, onde realizou um procedimento cirúrgico e passa bem. Em relação ao armamento utilizado pela instituição, a PMAL destaca que todas as armas da instituição passam por manutenção periódica e os militares participam de instruções nos cursos de formação e periódicas sobre o manuseio e manutenção dos armamentos da corporação.

Em relação ao caso específico ocorrido com o Cadete, a PMAL realizará uma perícia técnica para investigar as causas do incidente.

A assessoria de comunicação da Taurus também enviou posicionamento da empresa na tarde desta quarta-feira (29). Leia abaixo. 

"A Taurus lamenta o incidente com o policial e tomará providências para apurar o ocorrido junto às autoridades competentes.

É necessária a realização de uma perícia técnica para apurar as causas do incidente. Essas perícias quando realizadas de acordo com as normas técnicas têm demonstrado a inexistência de defeitos nos armamentos.

A exemplo disso, a Justiça do Distrito Federal julgou totalmente improcedente ação civil pública promovida pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios pela não comprovação de defeitos nos armamentos".