Polícia

Polícia investiga possível relação de morte de taxista com tráfico de drogas

Erik Maia / Deborah Freire | 08/11/18 - 09h49 - Atualizado em 13/11/18 - 15h26
Polícia já iniciou as investigações da morte do taxista | TNH1 / Erik Maia

O taxista Pedro Tenório Neto, de 39 anos, morto a tiros na manhã desta quinta (08), no centro de Maceió, próximo à Assembleia Legislativa, pode ter sido morto em virtude de uma passagem pela polícia por tráfico de drogas.

De acordo com a delegada plantonista da Delegacia de Homicídios, Talita de Aquino, essa é uma das linhas de investigação. Ela não soube informar com precisão se a prisão ocorreu este ano ou no ano passado.

Pedro foi morto a tiros de pistola, de calibre ainda não identificado, pouco antes das 7h. A esposa dele, que dormia no carro do casal à espera do horário de abertura do comércio, disse que não viu quem atirou. Ela contou à polícia que foi acordada pelos barulhos dos disparos.

A mulher trabalha como ambulante e foi com o marido de carro para o Centro como fazia quase diariamente, segundo apurou a polícia. Ele fazia ponto em frente à Biblioteca Pública e era onde estava quando foi atingido.

Câmeras de segurança

A polícia já começou a identificar câmeras que possam ter registrado o crime ou a fuga dos bandidos. Há equipamentos na Biblioteca Pública e também na agência da Caixa Econômica, que fica ao lado.