Polícia

Polícia investiga se menino de dois anos que morreu afogado no Francês foi vítima de abusos sexuais

Eberth Lins | 28/07/21 - 10h09 - Atualizado em 28/07/21 - 10h28
IML confirmou a casa da morte do menino Luan como sendo afogamento | Foto: Reprodução / Rede Social

A investigação sobre o afogamento de um menino de dois anos no sábado (24) na piscina de uma residência na Praia do Francês, em Marechal Deodoro, ganhou novo desdobramento e a Polícia Civil (PC) agora quer saber se Luan Henry de Souza Dantas também foi vítima de abusos sexuais. A responsável pela criança, uma advogada que estava com a tutela e em processo para adoção do menino, foi presa em flagrante suspeita de abandono de incapaz, mas foi liberada em seguida na audiência de custódia.

A delegada Liana França, do 17º Departamento Policial (17º DP) e responsável pelas investigações, conversou com o TNH1 nesta quarta-feira (28) e falou sobre a suspeita de abusos sexuais. "Quando o menino foi socorrido à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Francês, médicos e enfermeiros relataram que o ânus do menino estava dilacerado. Ainda não podemos confirmar nada, mas o IML (Instituto Médico Legal) já coletou material e enviou para análises no Instituto de Criminalística", detalhou a delegada.

"Esses exames no IC costumam demorar um pouco, mas seguimos atentos e vamos acompanhar esse caso de perto", assegurou a delegada. 

TNH1 entrou em contato com o IML, que confirmou a causa da morte da criança como sendo afogamento. "O Instituto de Medicina Legal de Maceió esclarece que o laudo cadavérico em relação ao exame de necropsia realizada na criança L. H. de S. S., de 02 anos, ainda não foi concluído. Que foram coletadas amostras biológicas para exames complementares. O IML emitiu apenas a declaração de óbito com a causa da morte", trouxe a nota do órgão.

O caso

Luan Henry estava em uma residência no Loteamento Recanto dos Coqueirais, na Praia do Francês, quando foi encontrado no fundo da piscina. O menino chegou a ser socorrido pela diarista da casa e levado pela família à UPA do Francês, onde já chegou em óbito.

Além dele, na casa estavam ainda sete pessoas adultas e outras três crianças.