Polícia

Polícia pede à Justiça prisão de professor de escolinha que teria abusado de aluno

João Victor Souza | 25/08/21 - 10h55 - Atualizado em 25/08/21 - 11h30
Delegacia de União dos Palmares | Divulgação Sindpol

A Polícia Civil de Alagoas indiciou e representou à Justiça o pedido de prisão do professor de escolinha de futebol suspeito de abusar sexualmente de um aluno de 10 anos no município de União dos Palmares. A informação foi confirmada pelo delegado Edberg Sobral, em entrevista ao programa Pajuçara na Hora, da Rádio Pajuçara FM Maceió - 103,7, na manhã desta quarta-feira (25).

"Pelo que foi apurado, o fato ocorreu em 30 de dezembro de 2020. Tem um certo lapso temporal em relação à data. Mas, pelas investigações, houve realmente o abuso. O inquérito já foi relatado e submetido ao Ministério Público no mês passado. Conseguimos angariar elementos comprovando autoria do fato ao investigado", disse o delegado.

Ainda segundo Edberg Sobral, O Ministério Público de Alagoas (MPAL) deve oferecer denúncia em breve e o processo criminal deve ser transcorrido contra o suspeito como estupro de vulnerável. "Estamos aguardando a manifestação judicial para dar cumprimento à prisão do professor", complementou.

O delegado reforçou a importância de diálogo entre pais e filhos para tentar inibir novos abusos. Ele destacou que a denúncia feita ao Conselho Tutelar pelo pai da criança ocorreu após a revelação do menino sobre ter sido apalpado pelo educador. A vítima detalhou que o professor colocou a mão dentro de sua cueca e tocou em seu órgão genital .

"Como o fato já tem oito meses, termina caindo no esquecimento. Mas estamos buscando punir o professor e que sirva como exemplo. Também é uma forma de orientação para que os pais tenham mais cuidados com os filhos, claro que não consegue inibir de forma completa, mas uma maior atenção, uma maior conversa com as crianças, algumas atitudes podem evitar novas situações", explicou.

"Uma pessoa que está ali com a profissão de educar, de instruir, cometer crimes hediondos, repugnantes. Esperamos colocá-lo atrás das grades o mais breve possível", finalizou.