Carnaval

Prefeitura de Maceió vai decidir sobre a realização do carnaval de rua até o fim de janeiro

TNH1 | 05/01/22 - 12h57 - Atualizado em 05/01/22 - 13h05
Arquivo

A aproximação do Carnaval, ainda em meio ao aumento de casos de síndromes gripais, faz com que a população tenha dúvidas sobre quais posturas o estado e os municípios vão adotar em relação à realização ou não das festividades de rua. Alguns eventos estão programados para acontecer, entre eles o Carnaval 2022 promovido pela Prefeitura de Maceió.

Em contato com o TNH1, a assessoria da Prefeitura de Maceió comunicou, na manhã desta quarta-feira, 05, que a definição sobre as festas de Fevereiro apenas deve ocorrer após avaliação do Município no fim deste mês. A capital deve analisar o cenário da saúde para decidir sobre a autorização para o desfile dos blocos de rua.

Diante da incerteza, não há como garantir a realização das prévias na capital, com o Jaraguá Folia na sexta-feira, e os tradicionais blocos Pinto da Madrugada, Pecinhas de Maceió e Turma da Rolinha - além dos demais integrantes da Liga Carnavalesca de Maceió - , no sábado que antecede o período de Carnaval.

Capitais já cancelaram o evento - Ontem, 04, a Prefeitura do Rio de Janeiro divulgou a suspensão da festa de Momo. No total, 506 blocos de rua se inscreveram para desfilar. Porém, o município sinalizou não ver razão para cancelar os desfiles das escolas de samba na Marquês da Sapucaí. Ele já comparou o Sambódromo aos estádios de futebol, que voltaram a receber público no ano passado.

Outras capitais já cancelaram os eventos de Carnaval, sendo a principal delas Salvador. A lista de municípios que não terão a festa chega a 58 no interior paulista, litoral e Grande São Paulo. 

Em Recife, maior polo carnavalesco do estado de Pernambuco, ainda há uma indefinição. A prefeitura disse que a decisão ficará a cargo das autoridades sanitárias. A tendência é que a gestão municipal da cidade siga a recomendação do governo estadual, mas a administração sinaliza que os grandes eventos de Carnaval somente poderão voltar ao patamar pré-pandemia com a superação da crise sanitária.

Sesau alerta para superlotação de UPAs - A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) de Alagoas informou que os casos de pacientes com sintomas de síndromes gripais continuam crescendo em Alagoas e causando superlotação nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). A capacidade de atendimento das unidades é de até 350 pessoas por dia e cerca de 10.500 por mês, mas, algumas delas estão recebendo pacientes além da sua capacidade.

Do dia 31 de dezembro até o dia 3 de janeiro, a UPA do Benedito Bentes registrou a entrada de 1.345 pessoas, sendo 648 de pacientes com síndromes gripais. Já na UPA Jacintinho, do dia 31 de dezembro até o dia 02 deste mês, foram atendidas 968 pessoas no geral e 430 com sintomas de gripe.

A UPA Cidade Universitária atendeu do dia 31 de dezembro ao dia 03 de janeiro 806 pacientes no geral, sendo 287 com síndromes gripais. No mesmo período, na UPA Tabuleiro do Martins foi registrada a entrada de 1.332 pessoas no geral e 652 com sintomas de gripe. No período de 31 de dezembro a 2 deste mês, a UPA Jaraguá atendeu 690 pacientes, destes, 377 com síndromes gripais.