Alagoas

Projeto Rondon encerra atividades da Operação Palmares

28/07/18 - 17h04 - Atualizado em 28/07/18 - 17h28

O Projeto Rondon encerrou neste sábado (28) as atividade da Operação Palmares, iniciada no dia 13 desse mês. Em duas semanas, o projeto passou por 12 municípios e beneficiou mais de 24 mil alagoanos.

As cidades beneficiadas foram: São José da Lage, Porto de Pedras, Coité do Nóia, Jequiá da Praia, Roteiro, Novo Lino, Quebrangulo, Cacimbinhas, Chã Preta, Olivença, Joaquim Gomes e Belém.

A cerimônia de encerramento do projeto ocorreu nesta tarde, no Centro de Convenções Ruth Cardoso, no bairro de Jaraguá, parte baixa de Maceió.

No evento, estiveram presentes os voluntários do projeto, composto, em sua maioria, por estudantes universitários, além de professores e militares, vindos de dez estados diferentes e 25 universidades, escolhidas pelo Ministério da Defesa.

Durante o encerramento, as equipes que foram distribuídas entre os 12 municípios alagoanos beneficiados pelo projeto puderam apresentar de forma lúdica um pouco do que presenciaram durante os últimos dias.

“É muito gratificante observar os rondonistas, que chegaram aqui há duas semanas, ao mesmo tempo eufóricos e assustados, sem saber o que poderiam encontrar. Eles estavam preparados teoricamente para ministrar oficinas, capacitações... E ao final dessas duas semanas a gente vê que eles saem emocionados”, contou o coronel Alexandre Scholt, coordenador nacional do projeto Rondon.

Para o Scholt, o saldo da visita dos rondonistas aos municípios foi positivo. “Por vezes, mais aprenderam do que puderam passar um conhecimento, então o saldo foi muito positivo. As comunidades receberam muito bem o projeto, foram entorno de 24 mil pessoas beneficiadas diretamente pelo Projeto Rondon, 24 mil pessoas que participaram das oficinas, capacitações e palestras", explicou.

Ele continuou afirmando que a grande maioria das pessoas envolvidas são pessoas que tem condições de multiplicar esse conhecimento. "Então a gente pode jogar aí com mais de 100 mil pessoas que serão beneficiadas com a passagem do Projeto Rondon em Alagoas”, disse o coronel.

Ana Flávia, estudante de Comunicação Social na Universidade Estadual de Santa Cruz, em Ilhéus, na Bahia, participou do projeto como voluntária e diz que o Rondon é um projeto de muita importância.

“A gente pode perceber isso quando a gente conversa com as pessoas que participam, nos municípios. A gente ter a oportunidade de poder levar o que a gente aprende pra uma pessoa, numa realidade totalmente diferente da nossa, é aí que a gente percebe que estamos realmente fazendo a diferença”, disse a estudante.

*Estagiária sob supervisão da editoria