Alagoas

Publicação homenageia Floracy Cavalcante, a 'rainha da rádio alagoana'

Redação TNH1 com Ascom Secult | 04/03/20 - 15h01 - Atualizado em 04/03/20 - 15h01
Júlya Rocha/Ascom Secult

Em uma publicação especial da Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult), a radialista Floracy Cavalcante recebeu as homagens, dentro das comemorações alusivas ao Dia Internacional da Mulher, celebrado no próximo domingo, dia 08 de março.

A reportagem relembra a trajetória dela, que é considerada a "rainha da rádio alagoana".

Confira:

O rádio é considerado um veículo de comunicação imortal, e já foi o meio de comunicação mais democrático do país. Em sua Era de Ouro, os locutores das estações quase faziam parte da família dos ouvintes. Em Alagoas, um dos nomes femininos unanimidade como referência no rádio é de Floracy Cavalcante.

Com uma trajetória de 60 anos de carreira, Floracy Cavalcante, retrata a história do meio de comunicação considerado imortal. “Iniciei a carreira aos 15 anos. Eu não tive influência, pois ninguém ligado a mim seguia a profissão, mas sempre quis ser radialista. Ouvia tanto que me apaixonei, aquilo tomou conta de mim e eu quis ser. Tudo começou por vontade própria, e tive muita sorte, por tudo ser muito diferente da atualidade. Antigamente os pais não permitiam, existia muito preconceito com as mulheres, eram preconceitos idiotas”.

Floracy conta que teve o apoio dos pais para seguir na carreira escolhida. “Meus pais foram ótimos, que sempre me apoiaram em todas as minhas escolhas. E assim fui fazer um teste para locutora, com 15 anos, na rádio Progresso de Alagoas, em 1958, fiz o teste, só que eu gostava muito de rádio teatro, queria ser atriz. Eu sempre achei o máximo fazer novela. E como não tinha divertimento, nós ouvíamos com nossos pais e acabávamos gostando.”, relembra.

Seus programas sempre foram dedicados às mulheres. “Realizei meu sonho quando fui convidada para ir à Rádio Difusora. Meu primeiro programa era feminino, sempre dedicado à mulher, a dona de casa... em todas as emissoras apresentei programas dedicados à mulher. Uma adolescente de 15 anos falando sobre o universo feminino, e era engraçado, pois eu tinha que me virar com os assuntos sendo apenas uma menina.”, conta orgulhosa.

Em meio a uma época de censura, Floracy relata como era ser mulher e estar no rádio. “Quando se falava em mulher no rádio existia muita censura, muito preconceito, eram poucas mulheres na profissão. Faziam pré-julgamentos sobre nós, as poucas mulheres no rádio naquela época, e, por isso, em Alagoas poucas mulheres seguiram a carreira no rádio. Ainda hoje existe preconceito com as mulheres, mas os veículos já aceitam melhor e temos muitas profissionais excelentes no mercado. Eu acho maravilho!”, vibra.

Para a radialista Gal Monteiro, Floracy Cavalcante deixou portas para as mulheres. “Era criança, e morava em frente à casa de Floracy, e eu brincava com as filhas dela de roda. E todos os programas que a Floracy fazia, em datas comemorativas como o Dia das Mães, eu ligava, eu sempre participava. À época, a mãe da Floracy via que eu gostava muito de rádio e me dizia: “você será a substituta da minha filha”. Ficava muito animada! O destino nos tornou colegas de profissão”.

Mesmo com a chegada das novas mídias e tecnologias, o rádio continua tendo seu espaço. “Falou-se muito que o rádio se acabaria com a chegada da televisão, mas isso nunca aconteceu. A programação mudou, mas ainda temos interação com o público, música, noticiário. Eu recebia muita carta, e era maravilhoso receber aquelas palavras com a emoção do momento, aquela letrinha que você fazia questão de decifrar. Alagoas continua sendo um ótimo ouvinte. Como faço rádio há muito tempo, tenho muitos ouvintes fieis e que demonstram isso diariamente nos meus programas”.

Com uma legião de fãs, Floracy Cavalcante demonstra felicidade com a profissão que escolheu “Eu posso afirmar que é maravilhoso saber que temos pessoas nos ouvindo diariamente. É um encanto estar ali! Quando estou em algum local público, onde há pessoas mais antigas e que escutam muito o rádio, por exemplo, falo e eles reconhecem minha voz, é muito gratificante. É uma resposta do nosso trabalho”, finaliza.

Atualmente, Floracy Cavalcante apresenta, aos sábados pela manhã, ao lado da filha Telma Cavalcante, o programa Gerações, na Pajuçara FM 103,7.