Meio Ambiente

Rastro de petróleo persiste no Litoral Norte de Alagoas, mas limpeza diminui

Deborah Freire | 19/10/19 - 15h57 - Atualizado em 19/10/19 - 16h57
Petróleo na praia de Japaratinga | Ibama

Novas manchas de petróleo continuam chegando às praias do Litoral Norte de Alagoas, que passaram por limpeza esta semana após uma grande quantidade de óleo invadir as areias, na quarta-feira (16).

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) está com equipes na Praia do Boqueirão, em Japaratinga, até Maragogi, e identificou diversas 'pelotas' de óleo na areia, e algumas dentro da água, em um pequeno rio que desemboca no mar.

Fotos da região foram registradas no início da tarde deste sábado (19) e revelam um rastro de poluição que ainda persiste no litoral.

Segundo uma fonte do TNH1 no Ibama, o trabalho de limpeza precisa ser contínuo, mas foi reduzido no fim de semana, e só está mantido mais próximo dos resorts.

"Depois que o Ibama identificou as áreas, o Estado, a Defesa Civil e as prefeituras assumiram a limpeza. Ontem, estava sendo realizada, mas hoje, a mesma equipe era para estar nas praias. Quando o Ibama voltou para vistoriar e sobrevoar, não havia nenhuma equipe, só em frente aos resorts, uma equipe da Marinha", informou a fonte.

Um comerciante da região confirmou à reportagem que houve uma "boa limpeza" durante a semana, mas não deixam de surgir novas manchas, e a própria comunidade tem recolhido. "Tava toda escura a beira-mar. Hoje está limpa, mas não 100%", diz.

A Diretoria Nacional de Proteção do Ibama está com a equipe de Alagoas para realizar um sobrevoo no litoral e verificar quais são as áreas em pior situação e, em seguida, deve comunicar o resultado para o Grupo Técnico de Acompanhamento (GTA) da situação do óleo no estado. Veja imagens de uma mancha localizada no mar durante o voo:

O TNH1 entrou em contato com o GTA, por meio da assessoria de comunicação, e foi informado que o Boqueirão estava com pouco óleo, por isso foi dada prioridade ao Salgado, que estava em situação de emergência. "A equipe vai trabalhar lá na próxima maré baixa. É importante observar que a retirada do material está sendo feita sempre na baixa-mar, dessa forma o trabalho tem que acontecer conforme a maré, diariamente", disse por meio de nota..

Esta semana, o governador de Alagoas, Renan Filho, descartou decretar emergência no Estado, pelo menos por enquanto.