Maceió

Rui diz que não vai autorizar reajuste da passagem: 'Empresas descumprem contratos e não renovam a frota'

TNH1 | 14/01/20 - 18h11 - Atualizado em 14/01/20 - 18h13
Reprodução

O prefeito de Maceió, Rui Palmeira, fez uma declaração nesta terça-feira, 14 de janeiro, sobre a tramitação do reajuste da passagem de ônibus coletivos na capital, anunciado em dezembro passado pelo Conselho Municipal de Transporte e Trânsito.

Em vídeo postado nas redes sociais da Prefeitura, o chefe do Executivo garantiu que não vai autorizar reajuste no valor, atualmente em R$ 3,65, e fez duras críticas às empresas de ônibus que exploram o serviço na capital.

Rui diz que os argumentos contra o reajuste para R$ 4,10, definido pelo Conselho, são os mesmos utilizados durante a mesma negocação em 2019. “As empresas estão descumprindo contratos, não renovaram a frota e e descumprem o dever de pagar os impostos municipais”, disparou o prefeito.

“Dessa forma não há por que conceder qualquer tipo de reajuste na tarifa dos ônibus urbanos de Maceió”, disse.

Assista ao pronunciamento na íntegra:

Tramitação

O reajuste da passagem para R$ 4,10 foi definido pelo Conselho de Transporte no dia 26 de dezembro do ano passado.

Nessa seguda-feira, 13, o prefeito se reuniu com representantes do Ministério Público Estadual, que defende a manutenção do valor atual.

O pedido do MPE foi feito após a apresentação de uma auditoria realizada no transporte público da capital alagoana.

Em nota oficial, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros (Sinturb) apontou a importância do reajuste para o equilíbrio financeiro do contrato entre as partes.

Confira a nota na íntegra

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros – Sinturb, afirma que desde o inicio de 2018, vem trabalhando junto ao Ministério Público Estadual, Ministério Publico de Contas e Prefeitura de Maceió a importância do reajuste da tarifa para garantir o equilíbrio econômico financeiro do contrato entre as partes.

O Sinturb relembra também, que as empresas passaram por auditoria contratada pelo município de Maceió, durante todo do ano 2019. Essa auditoria mostrou em números o desequilíbrio econômico financeiro do contrato, causado pela redução de passageiros e do aumento dos custos, além de apontar uma tarifa ideal para a recomposição financeira. 

Confiando em todo esse processo juntos aos órgãos, as empresas se comprometeram em renovar a frota, estando previsto para chegarem Maceió até o final deste mês de fevereiro, os primeiros 20 novos carros, um investimento de mais de 7 milhões de reais. Sem a nova tarifa, as empresas passam a enfrentar mais dificuldades em manter suas obrigações do dia a dia. 

Lembrando que nesses últimos 24 meses sem reajuste, foram concedidos reajustes no salário para os rodoviários, plano de saúde e ticket alimentação. Além da significante alta do combustível e da perda de passageiros pagantes, que representa mais de 10% dos passageiros a menos nos últimos dois anos, decorrente da falta de fiscalização do transporte clandestino.