Maceió

Samu socorre idoso vítima de paradas cardiorrespiratórias, em Ponta Verde

Assessoria | 24/04/22 - 19h55
Arquivo

Os quadros de parada cardiorrespiratória estão entre os tipos de ocorrência mais comuns atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Alagoas e o tempo-resposta para esses pacientes é fundamental. Um exemplo disso foi um paciente atendido na manhã de sábado (23) no bairro da Ponta Verde, em Maceió: um homem de 63 anos foi encontrado em casa já desacordado por familiares que prontamente acionaram o Samu por meio do 192.

Ainda durante a ligação, a família decidiu também pedir ajuda à enfermeira Bruna Freire, que chegava em casa após um plantão no Hospital da Mulher (HM). Ela identificou o quadro do paciente, conversou com o médico regulador e iniciou os procedimentos de reanimação cardiorrespiratória (RCP) até a chegada da ambulância. Bruna ensinou para um filho e uma vizinha do paciente, ainda enquanto realizava os procedimentos, como a manobra deveria ser executada para realizar revezamento durante os ciclos que, em grandes intervalos de tempo, podem levar à exaustão física.

Uma Unidade de Suporte Avançado (USA) do Samu Alagoas, que funciona como uma UTI móvel, chegou ao local e conseguiu reverter a situação. Porém, de acordo com o médico socorrista Adriano Luna, durante as operações da ocorrência, outras complicações surgiram. “O espaço era apertado e o paciente estava no décimo andar. O elevador não cabia a maca e a escada oferecia diversos riscos, então ele precisou ser levado em pé na prancha pelo elevador e ao entrar na ambulância, apresentou uma nova parada cardiorrespiratória”, explicou o médico.

Depois de mais alguns ciclos de RCP mantidos pela equipe de socorristas da USA, que funciona como uma UTI móvel, o paciente foi entubado e encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE). Na chegada à Ala Vermelha, uma nova parada cardiorrespiratória aconteceu e que também foi estabilizada, desta vez juntamente com equipes do HGE, onde segue internado para realização de procedimentos.

Pronto atendimento – Além do tempo-resposta satisfatório para a ocorrência, o médico socorrista Adriano Luna ressalta ainda a importância da enfermeira que realizou as primeiras manobras. “É muito importante que a resposta em casos como este seja imediata. Além de prontamente prestar socorro, foi de extrema importância também revezar os ciclos de RCP com outras pessoas”, disse o médico.

A enfermeira enalteceu, em suas redes sociais, que o Sistema Único de Saúde (SUS) em Alagoas funciona. “Foi um momento difícil lidar com a inexperiência da família e todas as dificuldades do quadro, mas ver uma equipe ágil e preparada realizando um atendimento de primeira linha deu muito orgulho”, disse a enfermeira.

Como realizar a RCP – Caso encontre alguém sem sinais de respiração, como a ausência de movimentos de expansão do tórax, deite-a de barriga para cima em uma superfície rígida, de preferência no chão, e ligue imediatamente para o 192.

Para realizar a RCP, ajoelhe-se ao lado da vítima, na altura dos ombros dela, e localize o centro do tórax, entre os mamilos. Posicione os braços estendidos com os dedos entrelaçados, colocando uma mão sobre a outra, apoiando-se no centro do peito.

Mantenha os braços esticados, sem dobrar os cotovelos, e use o peso do corpo para fazer compressões rápidas e fortes. Inicie compressões com a frequência de 5 compressões a cada 3 segundos, comprimindo o tórax na profundidade de, no mínimo, 5 cm para adultos e crianças e 4 cm para bebês.

O procedimento de reanimação deve continuar até a chegada do Samu. É recomendado que sejam realizados ciclos de dois minutos ininterruptos de RCP, mas que haja rodízio com pessoas diferentes ao término de cada ciclo, para garantir a melhor qualidade do procedimento, já que o processo é bastante cansativo.

Quando acionar o Samu – O Samu Alagoas funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana, e pode ser acionado por intermédio de ligação gratuita pelo número 192. Além de atender pacientes vítimas de parada cardiorrespiratória, o serviço atua em ocorrências com vítimas de acidentes de trânsito, quedas da própria altura, ferimentos por arma branca e por arma de fogo, quedas de altura, afogamentos e queimaduras.

O serviço também pode ser acionado para atender casos obstétricos, casos de Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) e de Acidente Vascular Cerebral (AVC), além de pacientes com quadros suspeitos ou confirmados de Covid-19. Por meio do telefone 192 também é possível solicitar assistência para pacientes em surto psiquiátrico.