Polícia

"Se tivesse um fósforo tacaria fogo em você agora": funcionário denuncia atos de racismo de cliente de shopping

Eberth Lins com TV Pajuçara | 25/11/21 - 14h34 - Atualizado em 25/11/21 - 16h27
Luis Felipe denuncia ter sido vítima de racismo em shopping de Maceió | Foto: Reprodução / TV Pajuçara

Funcionário de uma loja localizada em um shopping de Maceió, Luis Felipe, procurou a polícia nesta quinta-feira (25) para registrar que vinha sendo vítima de racismo há quatro meses. O jovem negro e adepto de black power esteve no 6º Departamento Policial (6ºDP), no mesmo bairro onde trabalha, e relatou ter sido xingado de macaco e agredido fisicamente por um frequentador assíduo do centro de compras.

"Foram quatro meses de sofrimento. Várias vezes ia ao banheiro e me deparava com esse senhor. Ele fazia gestos de tesoura e faca, mas achava que não era comigo. Depois de um tempo comecei a observar e procurei a gestão do shopping e do meu trabalho para informar, mas ninguém fez nada", lembrou.

Luis Felipe contou que os atos racistas ficaram cada vez mais frequentes e ousados com o tempo. "Cada vez mais eu me sentia sozinho e acuado no meu trabalho. Tinha crises de medo e me trancava no banheiro para me recompor e voltar a trabalhar, sabendo que ele estaria lá. Começou a ficar muito frequente, até o momento que ele me chamou de amigo macaco. Eu me desestabilizava. Olhava ao redor via seguranças, clientes, pedia socorro e ninguém fazia nada. Na última semana estava trabalhando e do nada senti uma mão me puxando para trás, era ele puxando meu cabelo. E ele disse 'se eu tivesse um fósforo tacaria fogo em você agora', relatou o jovem.

A denúncia foi acompanhada pelo Núcleo Racial do Instituto do Negro de Alagoas (Ineg). "É estarrecedor. A gente pensa que não existe, mas infelizmente existe e é muito comum. Iniciamos o procedimento criminal contra a pessoa acusada dos fatos. Todos esses casos foram praticados na frente de testemunhas e relatados ao Serviço de Atendimento ao Consumidor do shopping", afirmou o advogado do Ineg, Pedro Gomes, acrescentando que a causa é plausível de ações contra o agressor, contra o shopping e também contra o local de trabalho da vítima.

O TNH1 entrou em contato com a assessoria de imprensa do shopping, que encaminhou uma nota, afirmando repudiar qualquer forma de discriminação e se solidarizando com a vítima. "O Parque Shopping Maceió repudia qualquer forma de discriminação e se solidariza com Luis Felipe, funcionário de uma das lojas do empreendimento. O shopping esclarece que acolheu Luis Felipe no Serviço de Atendimento ao Consumidor, registrando as ocorrências. A administração do shopping reforça que está à disposição das autoridades competentes para colaborar com as investigações", trouxe a nota.

Veja a entrevista de Luis Felipe ao programa Fique Alerta, da TV Pajuçara: