Mundo

Sede do 'Clarín', um dos principais jornais da Argentina, é atacada com bombas caseiras

G1 | 23/11/21 - 14h50 - Atualizado em 23/11/21 - 14h50
Reprodução / Google Maps

A sede do jornal “Clarín”, um dos principais da Argentina, foi atacada com coquetéis molotov na segunda-feira (22). A ação foi gravada em vídeo e, segundo o jornal, o ataque ocorreu às 23h. Nas imagens feitas por câmeras de segurança, é possível ver que o grupo, do outro lado da rua, joga artefatos explosivos contra o edifício.

O grupo é interrompido pela passagem de dois ônibus, mas depois volta a jogar coquetéis molotov contra o edifício que abriga o “Clarín”. O presidente da Argentina, Alberto Fernández, disse em uma rede social que repudia o ato contra a sede do jornal e afirmou que a violência "altera a convivência democrática".

"Esperamos que o acontecido seja esclarecido e que os autores sejam identificados a partir da investigação que já está em curso", escreveu o mandatário. O vídeo foi levado para a Justiça para que se abra uma investigação. Em nota, o Grupo Clarín afirmou que lamenta e condena o ato grave, que, inicialmente, parece ser uma expressão de intolerância contra um meio de comunicação. Os bombeiros chegaram rapidamente, às 23h15, segundo o jornal. As chamas já tinham se apagado. Não houve feridos nem há danos materiais.