Brasil

Sem sobrenome, mulher procura família em Alagoas há cerca de 20 anos

Letícia Cardoso* | 21/01/19 - 12h07 - Atualizado em 21/01/19 - 12h11
Filhos de dona Helena buscam informações sobre a origem da mãe | Arquivo Pessoal

Helena é uma mulher de 70 anos, mas nunca conheceu a família. Foi com um sobrenome adotado, ‘da Silva’, que ela conseguiu obter a certidão de nascimento. Mas há pelo menos 20 anos, os filhos buscam a origem da mãe, que mora no município de Itapoá, no Paraná, com um filho adotivo.

Simone da Silva Bavaroski, filha de dona Helena, que atualmente mora na Inglaterra, entrou em contato com o TNH1 para tentar encontrar notícias da família em Alagoas, onde a mãe teria trabalhado em 1959.

“Nosso único intuito é saber quem foram os pais dela e dar a ela pelo menos a data de aniversário. Acreditamos que ela tenha trabalhado na casa de um tenente em Maceió como empregada doméstica. Ela me disse nunca recebeu dinheiro em troca de serviços, recebia moradia. Ela mesma lembra que tinha uma avó e tinha muitos tios. Sempre estava em casarões. Tinha onde dormir e não lembra de ter passado necessidade”, explica Simone.

A filha acredita que alguém da família do tenente ou que tenha trabalhado para ele no passado possa conhecer a origem de dona Helena. Ela explicou que já tentou entrar em contato com os filhos do tenente pela redes sociais, e-mail e até carta, mas nunca teve resposta.

A grande dificuldade em encontrar os familiares se dá pela falta de documentos da mulher. Os familiares já cogitaram a possibilidade de ela ter sido adotada ou até mesmo raptada quando criança. 

Simone conta que já foi feito o teste de DNA Mundial, que é capaz de detectar a origem ancestral da pessoa a partir da amostra biológica, fazendo uma comparação com todo o mundo. O resultado aponta que ela pode ter parentes em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará, Paraíba e/ou Alagoas.

Quem tiver alguma informação que possa ajudar a encontrar a família de dona Helena pode entrar em contato com as filhas Simone e Leila por meio dos números +44 7449 602044 (internacional) ou (41) 9597-1140 (no Brasil), respectivamente.


*Estagiária sob supervisão da editoria