Polícia

Sequestro de mulher em Arapiraca foi motivado por briga de ponto de tráfico, diz polícia

João Victor Souza com Rádio Pajuçara FM Maceió | 18/06/21 - 11h16 - Atualizado em 18/06/21 - 11h29

A mulher de 23 anos, sequestrada e mantida sob cárcere privado por quatro dias no município de Arapiraca, foi vítima de uma briga entre traficantes por ponto de comércio de drogas, segundo informações da polícia. Ainda de acordo com a PM, ela é casada com um suspeito de vender entorpecentes e foi raptada por duas pessoas que estariam tentando tomar a 'boca de fumo' do companheiro dela. 

Em entrevista ao programa Pajuçara na Hora, da Rádio Pajuçara FM Maceió, a tenente Priscila, do 3º Batalhão da Polícia Militar (3º BPM), revelou que a rixa entre eles pelo tráfico motivou o sequestro da mulher.

"O que chegou para a gente, através de informes, e também a própria vítima confirmou parte dessa versão, foi que se tratava de uma briga entre fornecedores de drogas. A vítima é casada com um fornecedor e foi sequestrada por outro. É uma rixa, uma disputa de local, de ponto de drogas", disse a tenente ao apresentador Wilson Júnior.

Para a PM, a vítima confessou que temia ser morta pelos suspeitos a qualquer momento e apresentou lesões no corpo. "Ela não estava amarrada quando chegamos lá. Mas estava bastante machucada. A casa estava deteriorada, muito bagunçada, colchões espalhados, comidas estragadas... Um local bem deplorável, insalubre [...] Ela temia pela vida dela, falou dos dois filhos. Ela estava bastante assustada", afirmou.

Apesar de ser casada com um suspeito, a vítima negou para os policiais ter envolvimento com o tráfico. Após receber atendimento médico, a mulher retornou para casa e foi orientada a seguir medidas de segurança que devem ser tomadas a partir de agora.

Prisão dos suspeitos

A tenente Priscila ainda explicou durante a entrevista que os dois presos, um homem de 21 anos e uma mulher de 31, não resistiram à prisão. 

"Eles não chegaram a reagir. Eles negaram o fato, só que estava bem caracterizada a situação. A vítima se encontrava com várias escoriações pelo corpo, bastante machucada, com suspeita de braço deslocado. E ela relatou para a gente estava há quatro dias sofrendo maus-tratos, e que foi retirada de casa, sendo levada para lá. Então também foi caracterizado sequestro".

Os dois detidos em flagrante permanecem reclusos na delegacia da cidade e o caso segue sendo investigado pela Polícia Civil.

Denúncia de cárcere privado

Por volta de meio-dia de ontem, o 3º BPM foi informado, através do Disque Denúncia 181, de que uma mulher estava sendo mantida sob cárcere privado em uma casa numa pequena vila no bairro de Cacimbas. 

"Nós acionamos quatro viaturas, não sabíamos exatamente qual situação a gente ia encontrar, também acionamos o serviço aéreo", destacou a tenente Priscila.

Após o resgate, a mulher disse que ficou reclusa por quatro dias dentro do imóvel. Ela destacou que, além de ser impedida de retornar para casa, foi espancada pelos criminosos durante o período.