Polícia

Sobrinha de mulher que morreu após implante se passou por cliente para atrair esteticista para Maceió

João Victor Souza | 11/02/21 - 11h41 - Atualizado em 11/02/21 - 12h19
Susana Thais morreu após intervenção para colocar silicone nas nádegas | Arquivo Pessoal

A sobrinha de Susana Thaís, mulher que morreu após se submeter a um procedimento estético irregular em um resort, prestou depoimento como testemunha ao delegado Robervaldo Davino na manhã desta quinta-feira, 11, em Maceió. 

Edineide da Silva revelou que entrou em contato com a esteticista identificada como Marisângela, que fez a intervenção em Susana, um dia depois da morte da tia e se passou por cliente, no intuito de atrair a mulher novamente para a capital alagoana. 

Em entrevista à reporter Maria Maciel, da TV Pajuçara, Edineide contou que acertou o valor de R$ 5 mil para o serviço de aplicação do implante de silicone. 

A sobrinha da vítima havia marcado com a suspeita um encontro para o próximo domingo, 14, porém a esteticista começou a desconfiar do contato, pois Edineide não havia depositado a quantia de R$ 1 mil na conta dela, como teria sido acordado anteriormente como valor de entrada para o procedimento.

Marisângela deixou de responder Edineide, e alegou ao delegado que soube da morte de Susana apenas na última quinta-feira (04). Por isso, seguiu com o atendimento normal aos clientes. 

As conversas por aplicativo de mensagens foram apresentadas à polícia, que vai analisá-las para concluir o inquérito nos próximos dias.

Família quer prisão de mulher

Edineide também disse à reportagem que lamentou a liberação de Marisângela após o interrogatório. Ela declarou que espera que a Justiça determine a prisão dela o mais breve possível. 

A esteticista, por enquanto, responde ao processo em liberdade. Ela deve ser indiciada por homicídio qualificado.

Esteticista se entrega

A esteticista que teria colocado hidrogel nas nádegas de Susana Thais Ferreira da Silva, de 33 anos, que morreu horas depois do procedimento, se entregou à polícia nessa quarta-feira, 10. 

Susana Thaís foi a um resort, no último dia 30, no Litoral Norte de Maceió, onde a mulher estava hospedada, para realizar o método irregular de gluteoplastia, pois tinha o sonho de ter silicone nas nádegas. Ela passou mal horas após a intervenção e morreu no HGE, na madrugada de 31 de janeiro.

De acordo com Davino, a esteticista identificada como Marisângela reside em Salvador e havia deixado o resort no dia seguinte do encontro com Susana. Após 10 dias, ela procurou a polícia e prestou depoimento. 

Durante o interrogatório, a mulher de 44 anos confirmou que aplicou hidrogel em Susana no quarto do estabelecimento e confessou que atuou clandestinamente. O local recomendado para o tipo de intervenção é o hospital. 

"A advogada trouxe a Marisângela na delegacia, nós a interrogamos, e ela assumiu o delito que cometeu. Ela sabia que estava errada, que assumia o risco, mas fez por dinheiro. Ela recebeu R$ 1 mil de entrada, e depois o restante do dinheiro. Ela aplicou a substância num ambiente indevido e vamos indiciá-la. Vamos ouvir mais uma pessoa hoje, e depois vamos concluir o inquérito", disse em entrevista ao programa Balanço Geral Alagoas, da TV Pajuçara.

Mesmo com a confissão da substância utlizada, a polícia vai aguardar a conclusão do laudo pericial para ter conhecimento do que foi inserido em Susana. 

Marisângela deixou a delegacia após o depoimento e vai responder o processo em liberdade.